10 de janeiro de 2013 às 06h25min - Por Mário Flávio

O prefeito Bruno Martiniano e equipe de secretários de Gravatá estiveram reunidos com representantes da Superintendência Estadual da Fundação Nacional de Saúde (FUNASA) /Divisão de Engenharia da Saúde Pública para definir o quantitativo de cisternas que serão instaladas em comunidades rurais, nas residências que não possuam o referido reservatório. Gravatá será a segunda cidade pernambucana a receber cisternas da Fundação. “Esta será mais uma missão, de levar água para quem mais precisa de forma organizada, para que no próximo verão a realidade das comunidades rurais seja melhor”, afirma o prefeito.

Cinco frentes de trabalho serão montadas, envolvendo 20 pessoas, gerando empregos diretos para o município. Na ocasião, ficou definido que o início dos trabalhos será nos primeiros dias de fevereiro. A conclusão das obras está prevista para 60 dias. Segundo o engenheiro Paulo Marconi, da Divisão de Engenharia da FUNASA PE, o Superintende Osman Lira assumiu recentemente com a política de cumprir com todas as ações de atendimento aos municípios inseridos no Polígono das Secas. Ainda segundo ele, o programa do governo federal de universalização do acesso de uso da água por todos, o “Água para Todos”, tem como meta a instalação de 3000 cisternas no ano de 2003 “e Gravatá foi contemplada entre os 14 municípios a serem beneficiados com as ações da FUNASA”.

As comunidades rurais onde as cisternas serão construídas e instaladas são: Tarrafas, Avencas de Baixo, Carapotós, Maria Isabel, Nicácio, Criminoso, Boa Vista, Angico, Camará, Lagoa da Costa, Maravilha, Esquerdo, Caroá, Lagoa Queimada, Ladrilho, Avencas de Cima, Cajá, Caetano e Cotunguba.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro