14 de setembro de 2013 às 03h11min - Por Mário Flávio

20130914-031110.jpg

O governador Eduardo Campos assinou a ordem de serviço para a construção das estações de embarque e desembarque de passageiros, dentro do Programa Rios da Gente, que vai utilizar o rio como corredor fluvial. Essa etapa receberá investimentos de R$ 94,5 milhões.

Ao lado da primeira dama, Renata Campos, do prefeito do Recife, Geraldo Julio, e do secretário estadual das Cidades, Danilo Cabral, o governador recebeu jornalistas para percorrer parte do trajeto a bordo de um catamarã. A embarcação saiu das mediações do parque da Jaqueira, e navegou por 5,5 quilômetros até as margens da BR-101, onde aconteceu a solenidade oficial de assinatura da OS.

“Esse é um modal que vai melhorar a qualidade de vida da população do Recife e Região Metropolitana com a melhoria da mobilidade. Vamos ter aqui uma alternativa de transporte seguro, que tem uma visão de integração a outros modais. Vimos esse modal desaparecer ao longo do tempo, e estamos resgatando esse transporte sobre o rio”, explicou o governador.

Dividido em dois eixos (Oeste e Norte), o projeto terá sete estações, sendo cinco para o primeiro eixo, e duas para o segundo. O Oeste tem 11 quilômetros de extensão, da BR-101 até o Centro do Recife. Já o Norte tem 2,5 quilômetros de trajeto, partindo da rua do Sol, no Centro, até as proximidades do Shopping Tacaruna, em Olinda. Cada estação tem área de 438 metros quadrados. “Estamos falando de devolver o rio Capibaribe para a nossa cidade, de preservá-lo”, pontuou Danilo Cabral.

O horário de funcionamento e o preço da passagem ainda estão sob estudos. Inicialmente, serão 13 barcos de transporte, com capacidade para 89 pessoas cada, com estimativa de transportar 300 mil passageiros por mês. A rota Oeste deve ser percorrida em cerca de 40 minutos, com intervalos de saída de 10 minutos entre um barco e outro. “Hoje, a gente vê o rio apenas das pontes, e precisamos aproximá-lo das pessoas novamente. O Recife é uma cidade cortada por rios, não podemos esquecer a mobilidade fluvial”, disse o prefeito Geraldo Julio.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro