13 de setembro de 2013 às 18h25min - Por Mário Flávio

O deputado federal Augusto Coutinho (DEM) conseguiu através da MP 620/2013, aprovada nesta semana, mudanças na atual Lei Pelé. Autor do projeto de lei 4.464/12, que acaba com os longos mandatos de dirigentes esportivos, o parlamentar comemorou a aprovação da medida que proibirá repasse de recursos da administração federal caso as entidades tenham o seu presidente ou dirigente mandato máximo de até quatro anos, permitida apenas uma recondução. A MP tornará o esporte brasileiro mais profissionalizado e transparente e mereceu defesa do deputado pernambucano no plenário da Casa.

“É lamentável o que se assiste hoje no Brasil. Você vê presidentes de federações que recebem muitos recursos públicos e que se perpetuam no poder. O exemplo da CBF (Confederação Brasileira de Futebol é muito claro”, disse referindo-se ao ex-presidente Ricardo Teixeira, alvo de muitas denúncias de corrupção envolvendo dinheiro público. O Plenário também rejeitou na mesma noite da terça-feira (10), por 323 votos a 41, o destaque do PMDB à Medida Provisória e manteve no texto o limite de quatro anos para os mandatos de dirigentes de entidades desportivas que desejarem receber recursos públicos. O destaque dos peemedebista foi considerado “nocivo” por Augusto Coutinho, contrário ao incentivo da cartolagem no desporto brasileiro.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro