29 de julho de 2013 às 09h25min - Por Mário Flávio
Garanhuns_UPAE

Prefeito Izaías Régis (à esq.) disse que município terá R$ 15 milhões para investir em setembro – Foto: Aluísio Moreira

O secretário de Saúde de Pernambuco, Antônio Carlos Figueira, aproveitou a inauguração da UpaE em Garanhuns na sexta (27) para anunciar mais uma unidade hospitalar no município: o Hospital do Agreste Meridional. “O projeto já está em andamento e ficará pronto em três meses. Além disso, Garanhuns também poderá assumir a administração do Hospital Dom Moura”, adiantou o secretário.

O prefeito Izaias Régis destacou a importância desses investimentos para a região e anunciou que a administração municipal está com um orçamento de R$ 15 milhões para investir na cidade a partir de setembro, ressaltando que parte desse recurso foi disponibilizado pelo Fundo de Apoio ao Desenvolvimento do Município. “A unidade trouxe uma economia para o município de R$ 200 mil. Com esses recursos, vamos melhorar ainda mais a cidade”, enfatizou.

UpaE

O Governo inaugurou na cidade, na sexta, a primeira Unidade Pernambucana de Atenção Especializada (UpaE). O empreendimento beneficiará cerca de 500 mil pessoas, oriundas de 21 municípios. Antes da solenidade, o governador visitou as instalações da unidade e descerrou a placa inaugural. Ao todo, o Governo do Estado investiu mais de R$ 21 milhões na construção e aquisição de equipamentos para a unidade, que terá um setor ambulatorial, com 19 consultórios; setor de diagnósticos e terapias; bloco cirúrgico, com quatro salas de cirurgia; e internamento de curta duração, além de apoio técnico e logístico.

O governador explicou que a unidade abrirá já na próxima segunda-feira (30/07), mas que não vai operar com 100% da capacidade de atendimento. “Todo equipamento terá capacidade para oito mil consultas por mês, isso quando todo o protocolo de operação for finalizado”, garantiu Eduardo, ressaltando que a unidade oferecerá, em seu ambulatório, consultas em 19 especialidades. Ainda dentro desta perspectiva, a unidade terá capacidade para realizar cirurgias de baixa complexidade, como catarata, adenóides, hérnias, entre outras, nas quais os pacientes são liberados em até 24 horas (hospital-dia), e de alta frequência.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro