9 de janeiro de 2013 às 10h52min - Por Mário Flávio
Da esquerda para direita, Jamessom Vasconcelos, Danilo César, John L. Silva e Daniel Queiroz, membros da Frente Jovem

Da esquerda para direita, Jamesson  Vasconcelos, Danilo César, John L. Silva e Daniel Queiroz, membros da Frente Jovem

Desde o início de janeiro, um grupo tem se articulado e começado a divulgar nas redes sociais e na imprensa as ações para compor a Frente Popular Jovem de Caruaru. A formação ainda é restrita e reúne PSD, PDT, PTB e PTN, mas os membros do movimento garantem que pretendem mobilizar a juventude caruaru para discutir um cenário mais amplo de políticas públicas em Caruaru e que o grupo não será fogo de palha.

Encabeçando o movimento, estão Jamesson Vasoncelos, John L. Silva, do PSD, Jackson Bezerra e Daniel Queiroz, do PDT, e Danilo Cesar (PTB). Eles passaram também no início da semana a contar com o apoio do presidente do Parlamento Jovem de Caruaru, Paulo Tôrres (PTN). Para Jamesson, que é presidente da Juventude do PSD, o objetivo da Frente Jovem é fazer um levantamento das atuais demandas sociais da juventude na cidade. “Sentimos a necessidade de buscar entender quais são as reais demandas dos jovens caruaruenses. Queremos identificar quem são as lideranças dos diversos segmentos partidários e das organizações civis organizadas desse segmento, para que possamos conhecer que é a juventude de Caruaru. Nossa ideia é viabilizar políticas públicas que possam servir para o desenvolvimento da gestão e, principalmente, com a juventude. Isso porque acreditamos que essa faixa da sociedade é mais vulnerável e carece desse tipo de política. Mas queremos fazer isso através de estudo aprofundado, porque podemos pensar que a demanda do município é uma, mas a realidade do jovem da periferia ser totalmente diferente do que pensamos, então precisamos de um programa com propostas atenda os jovens de forma ampla”, explicou.

No que se refere ao leque de bandeiras que podem ser defendidas nessa proposta, o secretário-geral da Juventude do PDT, Daniel Queiroz, salientou que é preciso não se prender a apenas um tipo de causa. “Pensamos o seguinte, precisamos fazer um grande estudo aqui. Não podemos nos prender, por exemplo, à defesa de profissionalização em apenas uma área do mercado de trabalho, não vamos nos prender apenas ao entendimento de que Caruaru é um polo de confecção. Queremos saber se existe algum curso que esteja faltando aqui. Assim como não podemos defender apenas uma bandeira de política estudantil, como aumento de passagem de ônibus, ainda que isso penalize a camada mais pobre da população. Mas, queremos avançar na discussão de temas para as juventudes e sair das questões superficiais, para termos uma visão mais ampla de políticas públicas no município”, argumentou.

Mas, isso também deverá passar, sob a nova ótica proposta para o governo municipal, pelo diálogo com a recém-criada Secretaria Especial de Participação Social, comandada pela petista Louise Caroline. Na opinião dos membros da Frente Jovem, a bandeira da participação popular é uma das que devem ser cobradas nessa nova administração. “Já fomos inclusive procurados por Américo Rodrigo, que é da tendência MAIS, do PT, grupo de Louise, para discutir como o partido pode se encaixar na Frente Jovem, e também estamos aguardando com ficará a movimentação de diálogos junto à secretaria. Não queremos impor nada de cima para baixo, como se trata de um estudo lento, pretendemos analisar projetos para juventude pioneiros em outros estados, que venham dando certo, e estudar a implantação deles em Caruaru, dialogando com a população e criando uma linha de diálogo através das redes sociais também. Mas queremos apresentar políticas que sejam afirmativas, e não paliativas, que resolvam um problema temporariamente apenas”, pontuou John Silva, que recentemente se filiou ao PSD e inclusive fez parte de uma chapa que disputou as eleições do DCE na Fafica.

Isso também passa, no entanto, pelo diálogo com os próprios vereadores e com o Parlamento Jovem. Para Danilo César, que antes das eleições 2012, fazia parte da Frente Jovem de Oposição em Caruaru, representando o PMDB, é necessária a articulação também com a bancada da base do governo e com a Secretaria de Relações Institucionais. “Tive uma conversa com Marco Casé, que está a frente dessa pasta, e que é presidente do PTB também, além de conversar com o vereador Cecílio Pedro, que também faz parte da legenda. Eles se sentiram muito felizes quando mostrei a ideia da Frente Popular Jovem, pois é necessário atrair as juventudes para participar da discussão política e dar continuidade a ações que vem dando certo na Educação, por exemplo, através da implantação do campus da UFPE, do IFPE, do cursinho popular Edilson de Góis…”, explicou.

Por enquanto, a Frente Popular Jovem ainda está dando os primeiros passos e desenvolve um programa de propostas para apresentar à população e à imprensa. Entre as ações planejadas para o futuro, está o desenvolvimento de comitês locais para discutir políticas públicas em diferentes localidades, agregando lideranças de diferentes segmentos estudantis e partidários.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro