25 de março de 2013 às 08h25min - Por Mário Flávio

20130322-174909.jpg

O presidente da Associação dos Professores em Educação de Caruaru (Atec), Fred Santiago, comentou a decisão do juiz José Fernando Santos Souza, que decretou as paralisações dos professores como greve ilegal. De acordo com o professor, o Sismuc não foi notificado, mas segundo ele, a decisão é frágil.

De acordo com Santiago, a liminar não tem argumentos firmes. “A categoria tem uma interpretação diferente dessa sentença que fala em ilegalidade de uma greve. Precisamos esclarecer que como é possível decretar a ilegalidade de uma greve se a categoria não estava em greve? Ainda não entendemos essa decisão, mas nunca daflagramos esse movimento. Não sou jurista, mas o magistrado usa argumentos abstratos e cita de forma desatualizada o educador Paulo Freire para reforçar a argumentação, tem pontos confusos, como é o caso da greve e volta imediata ao trabalho, nós não estamos afastados do trabalhos, os professores participam de atos e assembleias”, disse.

Sobre a possibilidade de multa diária ao Sismuc, que representa a categoria, o presidente da Atec foi enfático. “Essa multa é dirigida ao nosso representante jurídico, que é o Sismuc, mas que ainda nem foi citado. Temos um encontro amanhã, para que juntos, os professores definam as estratégias a serem adotadas. Essa sentença é muito parecida com a que foi dada na greve de 2011, e naquela situação o Sismuc derrubou a sentença e acredito que mais uma vez o jurídico do Sismuc irá ter uma situação positiva”, pontuou.

Hoje a noite durante evento da UFPE para debater a educação em Caruaru, os professores prometem fazer uma grande mobilização.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro