21 de fevereiro de 2017 às 06h57min - Por Mário Flávio

Rinaldo-Júnior

O vereador recifense Rinaldo Júnior (PRB) foi reeleito nesta segunda-feira (20), por unanimidade, para presidente da Força Sindical de Pernambuco para os próximos quatro anos, tendo como 1º presidente presidente o sindicalista Aldo Amaral.

A eleição aconteceu durante o 4º Congresso Estadual da Central Sindical, que contou com a participação de representantes da executiva nacional e de outros estados do Brasil.

O evento marcou também a filiação à Força de 18 sindicatos da Agricultura Familiar do Agreste, Sertão e Zona da Mata. Em seu discurso, Rinaldo Junior pregou a unidade dos trabalhadores em defesa dos seus interesses.

Segundo ele, “só com unidade será possível enfrentar os problemas do trabalhador, que são muitos. E esta Central é forte e plural. Esse evento só fez corroborar que somos hoje a maior Central sindical de Pernambuco. Por isso vamos continuar ao lado do trabalhador, nas bases, defendendo os interesses deles”, disse o presidente reeleito.

Durante o Congresso, foram debatidos temas como as reformas previdenciária e trabalhista. “Essas reformas impostas por este governo não trazem nenhuma vantagem para os trabalhadores. Pelo contrário, retiram conquistas históricas, resultado de muita luta, que começou em 1922. Um retrocesso. Não podemos nos calar. O maior poder que temos é o que emana do povo, nas ruas. Por isso vamos para as ruas defender os diretos do trabalhador brasileiro”, declarou Rinaldo Júnior.

O ex-ministro Antônio Rogério Magri, presente ao evento, endossou as palavras de Rinaldo Junior.

“Fui ministro da Previdência e também do Trabalho. Sei das dificuldades. Mas venho aqui endossar as palavras do companheiro Rinaldo Júnior. Há tempos não vejo uma plenária tão respeitosa. Vemos que a situação no país é muito delicada e precisamos agir urgentemente. Na época, quando fui ministro, engavetamos as reformas porque vimos que não era o momento e precisávamos de mais discussão sobre os assuntos pautados na época. Era necessária uma discussão ampla, com participação de toda a sociedade, dos trabalhadores, dos patrões, dos intelectuais, para que todos contribuíssem. A maioria do Congresso inclusive é aposentada e não representa os trabalhadores”, disse o ex-ministro.

Em seguida, o ex-ministro convidou o advogado previdencialista Ney Araújo para proferir uma palestra sobre o assunto. Para ele, a reforma da Previdência só irá agravar o problema da pobreza no Brasil.

O vice-presidente nacional da Força e presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, Miguel Torres, aproveitou a ocasião para convidar os presentes para o próximo congresso nacional da Central, em São Paulo, no próximo mês de julho, com presença de representantes de 1.648 sindicatos.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro