27 de junho de 2018 às 07h30min - Por Mário Flávio

Pré-candidato ao Palácio do Planalto pelo PDT, o ex-governador do Ceará Ciro Gomes criticou, nesta terça-feira (26), a forma com que o Banco do Nordeste foi comandado pelos governos do PT e do PMDB. O presidenciável lembrou que, como o banco controla o Fundo Constitucional do Nordeste (FNE), sua utilização política para proveito próprio, compromete o desenvolvimento de todos os estados da região.

“De um tempo para cá, o Banco do Nordeste tem sido aparelhado de uma forma quase corrupta. Primeiro foi o PT e agora o PMDB – tomando conta do fundo no constitucional e fazendo estripulias. E essa gente vai ser punida se algum dia eu chegar lá”, disse Ciro. “Então, é preciso a gente estar com o olho em cima e o meu compromisso é fazer com que o FNE exista para a forma para o qual ele foi criado”, acrescentou.

A fala de Ciro ocorreu durante um evento organizado pela Associação Comercial, Industrial e Serviços de Caucaia, no Ceará. De acordo com o político, o FNE precisa voltar a ajudar os pequenos e médios empresários e agricultores, que são os que mais necessitam de financiamentos para seus negócios.

“Eu, como ministro da Integração Nacional, ressuscitei o FNE porque ele estava todo contingenciado. E, na época, nós fizemos um acordo com o ‘BND’ para ele mudar certas práticas, especialmente as que financiavam grandes. Porque essa não é a lógica – embora a gente tenha que ter flexibilidade, se for um determinado empreendimento que seja potencializado de outros médios e pequenos e em troca, a partir e uma decisão gerencial, não por Lei, nós demos ao Banco do Nordeste o monopólio de operar o FNE aqui”, concluiu Ciro Gomes.

Criado pela Constituição de 1988, o FNE tem o objetivo de contribuir para o desenvolvimento econômico e social do Nordeste, através da execução de programas de financiamento aos setores produtivos.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro