6 de junho de 2012 às 21h38min - Por Mário Flávio

Após três dias de paralisação e 13 rodadas de negociação com o patronato – com adesão de 80% das escolas particulares de Pernambuco -, os professores do setor privado de ensino encerraram a greve, deflagrada na última segunda-feira (04) com garantia de reajuste no piso salarial e conquista de mais dez das cláusulas da pauta de reivindicação.
 
No que se refere a reajuste salarial, os professores tiveram aumentos diferenciados. Para o Nível I (Educação infantil e Fundamental I), o aumento chegou a 20%, elevando o piso de R$5 para R$6 a hora/aula. O Nível II (Fundamental II e Ensino Médio) recebeu 10%, crescendo a hora/aula de R$6,4 para R$7,04. Para os professores que ganham acima do piso, o reajuste foi de 7%.

Além da questão salarial, os professores garantiram um mês a mais de estabilidade para a professora lactante – que era apenas de um mês além da licença maternidade, o que agora gera seis meses de estabilidade total -, adicional de reuniões pedagógicas aplicado no índice de 70% em cima da hora/aula e garantia de 100% de bolsa de estudo para filho de professores na escola independente de CNPJs diferenciados. 
 
A decisão aconteceu em assembleia, finalizada às 17h50 desta quarta-feira (06), quando a categoria aprovou a pauta de Convenção Coletiva mediada pelo Ministério do Trabalho e Emprego e assinada pelo presidente José Ricardo Diniz durante a reunião realizada no turno da manhã.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro