16 de agosto de 2013 às 08h25min - Por Mário Flávio

20130816-010131.jpg

O vereador Evandro Silva (PMDB) decidiu adiar o o pedido de criação de uma CPI para investigar os dados divulgados pela Controladoria Geral da União (CGU), que apontou mau uso de verba pública, no ano de 2011 em Caruaru. Para que a Comissão seja instaurada são necessários oito votos e até a sessão dessa quinta (15), apenas seis assinaturas tinham sido recolhidas. Diante da situação, Evandro disse que vai fiscalizar a situação, mesmo que a CPI não seja criada.

No contexto

Professores fazem “romaria” durante protesto na Câmara de Caruaru

“A importância da CPI é fundamental e tem mais poder e relevância que a própria atuação do vereador. Mas digo uma coisa, se os vereadores não assinarem o documento, vou fazer um pedido aos que assinaram para que possamos numa comissão da Casa mesmo, fiscalizar. Caso os colegas não topem, eu fiscalizo sozinho. Hoje eu ainda não tenho as oito assinaturas, mas vou esperar até a próxima terça e apresentou o pedido”, disse.

O edil fez um apelo aos vereadores da base governista. “Faço aqui uma indagação: quem não deve, não teme. Então por qual motivo o governo não quer a CPI? A sociedade está cobrando isso, recebo meu salário pago pelo povo e por isso me sinto na obrigação de solicitar essa CPI. Não foi um caso isolado, nem apresentado pela oposição, são informações da CGU. Amanhã se houver punição do Ministério Público o que iremos dizer a sociedade? Eu não quero satanizar ninguém, mas temos que procurar a responsabilidade técnica de um auditor”, pontuou.

Além de Evandro Silva, assinaram o pedido de CPI mais cinco vereadores de oposição: Neto (PMN), Val (DEM), Louro do Juá (DEM), Jajá (PPS) e Eduardo Cantarelli (PSDB). Mesmo sendo da oposição, Rozael do Divinópolis (PMN) não quis assinar o documento.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro