14 de dezembro de 2020 às 07h17min - Por Mário Flávio

Convidados especiais, clássicos e uma das maiores orquestras do Brasil. Na estreia da programação do Natal da Esperança, a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) promoveu um concerto da Orquestra Bachiana Filarmônica, neste domingo (13), com transmissão em seu canal no YouTube. Conhecida internacionalmente, sob regência do maestro João Carlos Martins, o paulistano trouxe em seu programa peças do erudito ao popular, de Brahms ao aniversariante do dia, Luiz Gonzaga, que celebraria 108 anos. As atrações seguem até a terça-feira (15).

“É uma alegria abrir mais cedo o Natal, em um ano tão desafiador. A esperança é algo estratégico e necessário para animar o ser humano e a música é uma forma de falar com Deus, como nos ensina João Carlos, esse ser de luz e de  mãos tão iluminadas”, declarou o presidente da Fundaj, Antônio Campos. O bate-papo entre o presidente  e o maestro precedeu o concerto e rendeu interpretações de João Carlos Martins ao piano. Em um dos momentos, interpretou “Eu sei que vou te amar”,  de Tom Jobim, ao lado da violinista Cíntia Nunes. Na conversa, falaram sobre religiosidade, arte, amor e da admiração mútua.

Coube à Marcha Turca, de Beethoven, introduzir o novo cenário na transmissão. Seguida pela Dança Húngara nº 1, declarada por João Carlos Martins como a sua favorita entre as composições de Brahms. Os amantes dos romances cinematográficos foram contemplados com variações das composições de Paganini e Rachmaninoff para Em Algum Lugar do Passado (1980), de Jeannot Szwarc. O concerto, direto de São Paulo, recebeu o tenor Jean William para releitura da ópera Nessun Dorma, do italiano Giacomo Puccini — compositor da aclamada Madama Butterfly.

Às vésperas de viajar para a Alemanha, onde dará continuidade aos estudos de canto lírico, a soprano Ana Beatriz Gomes fez duas participações. A primeira, ao vivo, em Ellens dritter Gesang, a famosa Ave Maria, do austríaco Franz Schubert. Mais tarde, ela dá voz à composição e outro austríaco: Mozart e sua ária A Rainha da Noite, integrante da ópera A Flauta Mágica. “Esse concerto de natal é um início dessa parceria fantástica, da importante Fundação Joaquim Nabuco, de importância nacional. E para a Fundação Bachiana, que há 15 anos desenvolve um importante trabalho de democratização da música clássica”, declarou o maestro.

Ao longo de todo o programa, João Carlos Martins garantiu ao público uma aula, com diversos comentários a respeito das peças interpretadas. Em uma sequência emocionante, a Bachiana garantiu duas grandes homenagens, em um encontro intercalado de Mourão, do compositor carioca  Guerra-Peixe, e Asa Branca, do saudoso rei do baião, Luiz Gonzaga. Encerrando o espetáculo, a filarmônica recebeu , em sua última participação antes da mudança a trabalho para O exterior, a soprano Carmen Monarcha. Em clima natalino, o espetáculo encerrou com interpretação de Noite Feliz.

Para todos os públicos
A programação do primeiro dia, teve início ainda na tarde deste domingo (13). O recital poético-teatral Natal da Esperança foi estrelado pela Literatrupe e reuniu uma seleção de textos de ordem sobre desafios, milagres, sonhos e outros temas. Triângulo, rabeca, violino, bumbo e outros instrumentos garantiram o tom armorial à apresentação, em formato jogral, que contou também com trechos de textos como Sonhe, apócrifo atribuído a Clarice Lispector, e outros ainda mais conhecidos, como a Oração de São Francisco.

As histórias por trás do Natal também não ficaram de fora. Em sua participação,   a antropóloga do Museu do Homem do Nordeste (Muhne), Ciema Mello,  lembrou que a celebração é repleta de significados. Paganismo, Grécia Antiga, fatos históricos, sociais e políticos permeiam o 25 de dezembro. Ciema reconstituiu a cronologia da data, desde as celebrações do solstício de inverno e nascimento do deus persa Mitra até a louvação dos gregos a Saturno e a, posterior, cooptação dos festejos. “O fato é que até hoje a história do nascimento do menino comove a todo o mundo”, disse.

A programação trouxe, ainda, um tutorial exclusivo. Em referência a um dos folguedos mais simbólicos do Natal no Nordeste, o Engenho Massangana, na Casa, fez uma oficina de tiara. O adereço é utilizado pelos participantes do Pastoril Natalino. O folguedo teve origem na Europa, como conta o monitor Enerson Silva, mas caiu nas graças do povo e tem um destaque especial na região brasileira. Para a oficina conduzida pela educadora Edvânia Tatiana, que continuará disponível no YouTube, o público precisará de cola, papel emborrachado, régua, tesoura sem ponta, fitas coloridas de cetim, lantejoulas e uma tiara.

Outro momento do primeiro dia da programação do Natal da Esperança foi o anúncio dos vencedores do Concurso de Ensaios Aécio de Oliveira. O certame foi idealizado em 2019, integrando as comemorações dos 40 anos do Museu do Homem do Nordeste, equipamento da Fundaj idealizado por Aécio de Oliveira. Os participantes premiados foram Bruno César Brulon Soares e Juliana da Costa Ramos, que receberão o valor de R$ 10 mil, cada, pelos textos sobre memória e museologia. A escolha dos vencedores foi realizada por comissão julgadora, composta por sete professores doutores em atuação em universidades e instituições de pesquisa.

Toda a transmissão, deste domingo (13), continuará disponível no canal da Fundaj, no YouTube. O Natal da Esperança segue até a terça-feira (15). Confira a programação dos demais dias:

Dia 14 (segunda-feira)

15h50 — Abertura
Mario Helio, diretor de Memória,  Educação, Cultura e Arte da Fundaj

16h00 — Filme Morte e Vida Severina (Walter Avancini, 1981)
Adaptação do auto de natal homônimo de João Cabral de Melo Neto

17h — Oficina Criando uma miniatura de Bumba-meu-boi
Coordenação de Ações Educativas do Museu do Homem do Nordeste

17h30 — Espetáculo Quando a estrela corre o céu, de Ronaldo Correia de Brito

Dia 15 (terça-feira)

15h— Lançamentos da exposição e do fac-símile da revista Presente de Natal
Cibele Barbosa, pesquisadora do Centro de Documentação e de Estudos da História Brasileira Rodrigo Mello Franco De Andrade (Cehibra)

16h — Exposição Presente de Natal
Acervos do Museu do Homem do Nordeste e do Cehibra
Sala Waldemar Valente, campus Casa Forte

16h30 — Exposição Pinacoteca – Ensaio 1
Casarão Solar Francisco Ribeiro Pinto Guimarães, campus Casa Forte

17h— Encerramento | Apresentação do Coral da Fundaj


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro