1 de dezembro de 2015 às 09h44min - Por Mário Flávio

ministro

Desde a gripe espanhola que o Brasil não vivenciou uma crise tão grave como a epidemia da microcefalia, que atualmente assola o País, em especial o Nordeste. Ontem um ato reuniu mais de 150 prefeitos do estado, o governador Paulo Câmara, o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi e o ministro da Saúde, Marcelo Castro. Ele é da cota do PMDB nessa mexida esdrúxula feita pela presidenta Dilma.

As falas do ministro foram um desastre e uma afronta as mães e famílias que sofrem com a epidemia de microcefalia. Vir propor um tama lá da cá com o uso político da CPMF num momento tão delicado como esse em nome do governo é uma vergonha. Não houve anúncio de absolutamente nada e no momento das perguntas dos jornalistas o despreparo ficou evidente.

Não sabia sequer se a larvicida fornecida para enfrentar o mosquito tinha chegado ou se estaria a caminho. Não soube informar quanto será a verba enviada para combater a epidemia e se limitou a dizer que a presidenta Dilma Roussef não iria medir esforços para amenizar a situação. Lamentável reunir tanta gente da política, secretarias de saúde e imprensa para não apresentar absolutamente nada!


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro