8 de abril de 2013 às 17h25min - Por Mário Flávio

O Centro Acadêmico de História da FAFICA junto com Thiago Gomes presidente do Centro Acadêmico de Economia da UFPE produziram nota de repúdio a uma carta de solidariedade que a UNE enviou ao povo norte-coreano. O texto diz que a carta que fere sentimentos de liberdade e faz é apologia ao regime norte-coreano, que segundo as entidades é um sistema anti-democrático que massacra milhões de pessoas coma fome e o isolamento. Segue a íntegra da nota:

“Recentemente, 2 de abril, a UNE publicou em Brasília com outras organizações, inclusive o PT e o PCdoB, uma carta dando apoio à ditadura norte-coreana. A Coréia do Norte é governada por uma ditadura comunista há mais de 60 anos. Não existe imprensa livre no país e os trabalhadores sofrem com a falta de empregos e qualificação. Mais de 50.000 trabalhadores são empregados de fábricas sul-coreanas por falta de emprego em seu país de origem.

A falta de uma economia forte causa a escassez de comida, e a FAO, organização da ONU, estima que mais de 2 milhões de pessoas estão em situação gravíssima e podem morrer de fome. Na Coréia do Norte não existe judiciário independente e as pessoas são torturadas pela polícia. Nas seções de tortura, as mulheres normalmente são estupradas. A pena de morte beira o absurdo, e até pessoas que furtam comida para não morrer de fome são executadas. Os presos são enviados para campos de concentração, inclusive crianças. É esse o regime que a UNE presta solidariedade. Ser contra a política externa norte-americana não é motivo para ser complacente com um governo tão cruel.

A liberdade e a democracia são valores que devemos compartilhar e respeitar. A UNE com essa atitude mostra que não representa os valores de uma sociedade livre e democrática, e sim de uma sociedade autocrática. Devemos respeitar os direitos humanos acima de tudo, porque um dia nós que podemos ser atingidos pela cultura da violência. Milhões de pessoas pobres na Coréia do Norte sofrem todos os dias para ter o que comer. Não é justo que elas sejam tratadas como criminosas e nem que crianças sejam jogadas em campos de concentração para trabalhar como escravas. Se você é um estudante e ama a liberdade, mostre sua revolta: mande e-mail para a UNE, compartilhe essa carta nas redes sociais, cole cartas de repúdio no mural da sua universidade/faculdade ou tome qualquer iniciativa para mostrar que atitudes vergonhosas como essas não representam o espírito de liberdade da juventude brasileira”.

*Centro Acadêmico de Economia / UFPE – Presidente Thiago Gomes.
Centro Acadêmico de História / FAFICA – Presidente John Silva.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro