26 de maio de 2012 às 08h00min - Por Mário Flávio

No Recife o PT não se entende e a cada dia a Frente Popular segue com dificuldade em ter harmonia. Em Caruaru, João Lyra e Queiroz seguem travando uma guerra fria se bastidores e o entendimento fica cada vez mais distante. Alheio a essas questões, o governador Eduardo Campos segue tocando Pernambuco e a seca é uma situação gravíssima que preocupa o socialista.

Nesta sexta, ele esteve nos Sertões do Pajeú e de Itaparica e junto com o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, autorizou a abertura da licitação para contratação da empresa que ficará responsável pela execução da 2ª etapa da Adutora do Pajeú.

O sistema contará com 402 quilômetros de tubulação, 11 reservatórios, duas unidades de captação e 12 estações elevatórias. A água será captada da 1ª etapa da adutora, localizada em Floresta, e do eixo leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco. Todo o sistema será concluído no final de 2014 e vai beneficiar 169 mil pessoas de 15 municípios pernambucanos, além de outras 61 mil pessoas de oito cidades da Paraíba. O investimento é de R$ 525 milhões, incluindo obras civis, materiais e desapropriações.

Em discurso, o ministro Fernando Bezerra Coelho elogiou o compromisso e empenho do governador na luta pela universalização da água para o povo sertanejo. “Uma obra como essa para ser autorizada precisa de força política, vontade, garra e determinação. E é isso que Eduardo Campos tem conseguido traduzir: a força do voto dos pernambucanos”, elogiou o ministro.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro