6 de março de 2013 às 12h55min - Por Mário Flávio

Assim que a notícia da desistência da empresa chinesa Shacman em instalar a fábrica de caminhões em Caruaru foi confirmada, empresários locais que investiram em terrenos na BR 104 estão com as duas mãos na cabeça. Ontem na Câmara um deles, que pediu para não ser identificado, garantiu que convenceu alguns colegas a compr a peso de ouro, terrenos ao lado do local onde seria construída a unidade da Shacman em Caruaru. “O que vou dizer agora?”, disse. O problema nesse caso foi a especulação imobiliária.

De acordo com a opinião de especialistas, desde o anúncio da vinda da fábrica, que a especulação imobiliária subiu os preços de áreas próximas ao Polo Comercial, uma vez que, junto ao anúncio de investimentos na ordem de um bilhão de reais, fábricas de peças viriam a reboque, aumentando com isso a concentração de renda e consideravelmente emprego e renda em toda região Agreste de Pernambuco. Os terrenos passaram a ser mais cobiçados com a possibilidade da transferência da Feira da Sulanca para um trecho das proximidades da rodovia, o que ainda não foi confirmado.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro