15 de outubro de 2013 às 18h55min - Por Mário Flávio

20131015-182436.jpg

Em Caruaru, representantes do governo municipal, do legislativo, empresas e entidades de transporte e sociedade civil se reuniram na tarde desta terça (15), na sede da Destra, para a primeira reunião do Conselho Municipal de Transportes (Comut), após Conferência Municipal de Trânsito e Transporte ocorrida em setembro. Em pauta, a apresentação dos representantes das 15 cadeiras do conselho e a ratificação de propostas discutidas na Conferência.

Os vereadores Romildo Oscar (PTN) e Heleno do Inocoop (PRTB) estavam presentes, ainda que a presidência da Casa não tenha indicado oficialmente o representante da cadeira no conselho. “Como representante da Casa, preciso ressaltar que ainda não foi indicado quem ocupará a vaga pela Câmara, nem o suplente, passarei para o presidente da Casa o documento do Comut, para que seja indicado o representante do Legislativo no conselho e o suplente”, ressaltou Romildo, que esteve presente em boa parte das reuniões de pré-conferência e participou da Conferência Municipal de Trânsito e Transporte.

Em paralelo às apresentações também se destacaram alguns pontos a serem pautados como meta a partir de agora.
“O Comut vai além dos ônibus, também deve discutir os gargalos do trânsito e a qualidade de vias. Se a gente der as mãos e lutar por melhores estrutura para as vias de Caruaru, haverá melhores condições para táxis, motos, ônibus e carros. Estive em uma cidade no Sul em que o BRT funciona adequadamente. Mas lá também há uma estrutura de vias asfaltadas sinalizadas e bem cuidadas. É preciso esse tipo de integração para que esses avanços andem juntos. Além disso, é necessário não só acessibilidade em transportes coletivos, pois isso já foi implantado nas frotas da cidade, mas devemos avaliar a acessibilidade para os carros do município também”, avaliou o empresário Adolfo José, presidente da Associação de Empresas de Transportes de Passageiros de Caruaru (AETPC), cuja vaga no Comut será exercida pelo diretor institucional da entidade, Ricardo Henrique.

Essa é uma das categorias que já tinha representação no conselho, mas a novidade comemorada pela prefeitura é a participação de entidades de classe que pareciam escanteadas no Comut, como é o caso da Associação Caruaruense de Cegos e do Sindicato dos Mototaxistas de Caruaru. “Infelizmente, quem administrava anteriormente a Destra não entendeu que era um direito nosso participar do Conselho, já que havíamos até enviado ofício para a entidade pedindo para participar e não éramos ouvidos. Lá fora tinha-se que o Comut se reunia com cinco ou seis pessoas para discutir aumento de passagem, mas agora teremos oportunidadea de discutir nossas pautas”, explicou José Ivo, secretário do Sindmoto e integrante do conselho.

Mas, especificamente, há quem tenha lembrado que a reformulação do Comut por si só não garante melhorias imediatas, mas se faz necessária a fiscalização. “Quero acreditar que todos estão imbuídos para construir um conselho no qual os usuários sejam os maiores beneficiados e que interesses partidários, de empresários, desse ou daquele secretário, sejam rejeitados. Aliás, quero registrar minha lamentação pela reprovação do projeto que atualizaria a Legislação do Sistema de Transporte, que iria trazer melhorias no transporte, acessibilidade, agilidade nas licitações e também para o meio ambiente”, explicou o presidente do Sindecc Milton Manoel.

Mas, segundo o representante da Destra, Sirone Rodrigues, essa fiscalização será feita. “Foi feita a conferencia e o Comut, enquanto agente fiscalizador vai agir para colocar em pauta a partir de agora”, reforçou.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro