29 de julho de 2013 às 08h27min - Por Mário Flávio

Prefeitos de oito cidades do Agreste pernambucano estiveram reunidos na semana passada, em Lajedo, para discutir a destinação final dos resíduos sólidos. Durante a reunião, foram apresentadas soluções sustentáveis para a implantação de Unidades de Tratamento e Beneficiamento de Resíduos em dois núcleos, Iati e Lajedo. Trata-se de um consórcio a ser firmado junto às prefeituras, através de uma Parceria Público Privada (PPP), junto a um conjunto de investidores internacionais.

No contexto

Zé Queiroz avaliará possibilidade de incluir Bezerros no Plano de Resíduos Sólidos de Caruaru

Os municípios envolvidos enviariam os seus resíduos as Unidades e com isso se adequariam a Política Nacional de Resíduos Sólidos, que prevê que até agosto de 2014, as cidades brasileiras terão que implantar espaços destinados à deposição final de resíduos sólidos gerados, bem como programas de coleta seletiva que valorizem o catador. Na verdade, nesse contexto vale destacar que o prefeito de Lajedo, Rossine Blésmany (PSD), também quer dividir a conta do Aterro Sanitário com os prefeitos das cidades que depositam o seu lixo no aterro lajedense. Atualmente os Municípios de São João, Cachoeirinha, Jurema e São Bento do Una depositam o seu lixo no Aterro da Cidade governada pelo Delegado Licenciado. A conta não bate e Lajedo vem pagando para receber o lixo das outras cidades. A formação de um Consórcio Gestor e o rateio das despesas foi a solução proposta para o imbróglio. 

“Com esta Unidade, os Municípios investirão no manejo do lixo e com isso terão a sua correta destinação. Os resíduos serão tratados, não poluindo o meio-ambiente, e apresentarão como sub-produto, o ferti-adubo e o material de queima, que gera energia”, registrou o engenheiro florestal Flávio Correia, que representa o grupo de investidores que pretende implantar o Projeto no Agreste.

As vantagens para os Municípios participantes do Consórcio vão desde a correta destinação dos resíduos, passando pela geração de empregos diretos e indiretos com a implantação da Unidade, além do recolhimento de tributos municipais e estaduais, como ISS e o ICMS sócio ambiental. O CODEAM colocou a disposição dos prefeitos o engenheiro agrônomo Rafael Lima, que já exerceu a função de secretário de Agricultura e Meio Ambiente de Garanhuns, para auxiliar os Municípios no tocante ao processo. Uma nova reunião será agendada para definir a Ação.

Além do prefeito de Lajedo, participaram da reunião Padre Jorge, de Iati; Genaldi Zumba, de São João; Genivaldo Menezes, de Águas Belas; Celina Brito, de Jupi; Gerson Henrique, de Jucati; José Teixeira, de Paranatama e Agnaldo Inácio, de Jurema, além de representantes dos municípios de Lagoa do Ouro, Correntes e Calçado. O secretário Executivo da Comissão, Eudson Catão, também prestigiou o encontro.

Com informações de Carlos Eugênio


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro