8 de agosto de 2013 às 23h55min - Por Mário Flávio

20130808-233715.jpg

Um investimentos de cerca de R$ 12 milhões foi destacado durante visita do governador Eduardo Campos (PSB), nesta quinta-feira (08), ao município de Lajedo, no Agreste Setentrional do Estado. Na ocasião, o governador entregou a 19ª Escola Técnica Estadual (ETE), que recebeu o nome de Antônio Dourado Cavalcanti, e assinou ordens de serviços para as áreas de produção de feijão e de abastecimento d’água. Ainda em Lajedo, o governador entregou 93 títulos de posse, além de Carteiras Nacionais de Habilitação do programa CNH Popular.

Para Eduardo, a existência da escola de técnica, ao lado das obras hídricas, é o motor do desenvolvimento do Agreste. “Para atrair empresas, é preciso ter um centro de formação profissional e água. E quero, diante de tantas mães, educadores e estudantes, dizer que estamos dando um salto de qualidade nesses dois setores. Essa unidade é a nossa 19ª ETE, quando tínhamos apenas cinco em funcionamento, em 2006. Até o final do ano, a gente garante mais seis novas unidades dessa, para chegarmos a 2013 com 25 e até 2014, com 40 novas ETEs funcionando nos três turnos. Serão mais 600 mil vagas somente em aulas presenciais”, discursou Eduardo.

A ETE Antônio Dourado Cavalcanti é a primeira unidade de ensino técnico do Agreste Meridional e, além de Lajedo, vai atender às cidades circunvizinhas, como São Bento do Una, Cachoeirinha, Altinho, Canhotinho, Caetés e Garanhuns. O investimento para sua construção foi de R$ 8 milhões. A área da escola é de 12 mil metros quadrados. O empreendimento ainda possui 12 salas de aula, seis laboratórios, dois laboratórios específicos, auditório, biblioteca, quadra poliesportiva, refeitório, além de cantina e área de convivência.

ÁGUA – Na área de infraestrutura hídrica, o governador oficializou a inauguração da duplicação da adutora de água tratada do sistema de Lajedo, quando 36 mil metros de novas tubulações foram trocadas, totalizando um investimento de R$ 2,6 milhões. A ação faz parte do programa para o fim do racionamento e de perdas (Prored), e beneficia os mais de 26 mil habitantes do município, que passam a ter água todos dias. Antes, os moradores sofriam com o rodízio de três dias com fornecimento e oito sem.
Ainda no eixo de abastecimento, Eduardo autorizou o investimento de R$ 220 mil para a extensão da rede de abastecimento d’água do Sítio Santana e da Associação Comunitária de Caldeirão, situadas na parte rural de Lajedo. O novo sistema beneficiará cerca de 230 famílias.

AGRICULTURA FAMILIAR – Com objetivo de elevar em 100% o nível de produção e renda dos agricultores familiares de Lajedo, Eduardo decretou o início da construção de 60 terreiros de secagem no Sítio Barriguda, na zona rural do município. Com um custo de execução orçado em R$ 247,9 mil, a ação contemplará diretamente 60 famílias da cadeia produtiva do feijão. O produto será vendido, inclusive, para as escolas da rede pública e utilizado na merenda dos estudantes.

O secretário de Agricultura e Reforma Agrária, Aldo Santos, explicou que, ao todo, onze municípios estão incluídos na iniciativa, batizada de Plano Territorial de Rede Produtiva do Feijão. “Esse programa beneficia mais de 4 mil famílias, com um investimento da ordem de 24 milhões, sendo R$ 9 milhões recursos dos cofres estaduais e o restante do Banco Mundial. Hoje, há 1.200 terreiros de secagem espalhados no Estado. Até 2014, chegaremos a três mil”, garantiu o secretário.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro