6 de maio de 2012 às 23h54min - Por Mário Flávio

A jornalista Renata Coutinho fez uma entrevista com a pré-candidata do Democratas a prefeitura de Caruaru. Mais uma vez, Miriam Lacerda voltou a disparar contra o prefeito Zé Queiroz (PDT). Ela ainda usou as recentes entrevistas do vice-governador, João Lyra (PDT), para alfinetar a gestão. Na íntegra a reportagem.

 

CARUARU – A disputa pela Prefeitura de Caruaru tende a ser protagonizada pelos dois principais grupos políticos da cidade, sendo que a chapa do DEM será encabeçada pela ex-deputada estadual Miriam Lacerda. A meta dela é derrotar o prefeito José Queiroz (PDT). Nesta entrevista à Folha, a democrata admite que pretende se valer da crise entre Queiroz e o vice-governador João Lyra, que mesmo sendo pedetista, não poupa críticas à administração municipal. Miriam ainda diz que já tem algumas alianças firmadas, mas que vem conversando com outros partidos para ampliar seu palanque. Esposa do ex-prefeito e atual deputado estadual Tony Gel, ela garante que, sendo eleita, dará sua própria marca à gestão caruaruense.

O que já se pode antecipar do arranjo político que a levará a concorrer em Caruaru?
No momento nós temos o Democratas, o PMDB, PMN e o PPS. Estamos conversando com outros dois partidos, mas como ainda não fechamos não posso ainda adiantar. Venho fazendo muitas visitas, não porque é ano eleitoral. Este já é um perfil meu. Diante disso, surgem muitas expectativas, fofocas, mas só estamos conversando. O que eu posso dizer é que ainda não temos um nome para a vice. Os partidos da coligação ainda não chegaram a um consenso. Os partidos vão fazer a indicação e não posso interferir na escolha.

A senhora foi vista em vários eventos com o vereador Diogo Cantarelli (PSDB), que também é pré-candidato a prefeito. Isso pode dar uma pista de como seria a formação da majoritária?
Estivemos juntos em várias festas, sim. Diogo está aguardando o resultado do processo eleitoral, já que pretende disputar a Prefeitura também, mas temos tempo. Até junho muita coisa pode rolar. Vamos aguardar. Não posso afirmar hoje se ele fará parte dessa chapa.

Desde que se começou a falar da eleição municipal, o seu nome aparece como a melhor oponente ao atual prefeito José Queiroz. A que credita isso?
Na verdade, eu sou muito agradecida ao povo de Caruaru e acredito que seja pelo meu trabalho. Lembro que, quando fui escolhida para ser candidata a deputada estadual do nosso grupo, foi pela vontade do povo. Se hoje meu nome está sendo lembrado de novo para a Prefeitura, é devido ao trabalho feito ao longo dos anos. Independente da política, sempre me engajei no trabalho social.

Essa rusga entre o vice-governador João Lyra e José Queiroz – ambos do PDT- pode ser bem aproveitada pela oposição? Já Houve alguma conversa com Lyra sobre um possível apoio político a sua candidatura?
Nós nunca conversamos porque, ao longo desses anos todos, desde que Tony Gel começou a vida política, nós sempre fomos adversários políticos. Nunca tratamos dessa questão política depois dessa rusga. Mas eu costumo dizer que em política não existe nunca ou jamais. A política é muito dinâmica, e de repente pode acontecer, mesmo ele estando no bloco oposto ao nosso.

Algumas pesquisas de intenção de voto apontam um empate técnico entre a senhora e Queiroz. Qual a avaliação dessa pesquisa?
Eu não brigo com pesquisa. Acho que a pesquisa é o momento que estamos vivenciando. Nessa deu empate técnico, e isso para mim é bom. Agora uma pesquisa feita em Caruaru é muito delicada porque muitas vezes não alcança a zona rural, onde há uma população grande de eleitores. Sabemos que não se pode basear em uma pesquisa, mas em todas. Aí você me pergunta: qual delas que está certa? Vamos analisar a fala do vice-governador. João Lyra, que é aliado partidário do atual prefeito, foi à mídia e disse que há um desgaste muito grande e até mesmo reprovação do prefeito. Aí eu pergunto de novo: quem está com a razão, se o próprio aliado diz isso?

A senhora acha que o governador Eduardo Campos pode não apoiar a candidatura de Queiroz à reeleição?
Eu não acredito que o governador apoiaria outro candidato, porque Queiroz é um aliado político, tem como vice uma pessoa do PSB, que é o Jorge Gomes. Mas como já disse, a política muda muito.

Como está sendo o trabalho do deputado Tony Gel na sua candidatura?
Tony vai ser uma pessoa muito importante, pela experiência como deputado federal, prefeito reeleito, vereador e agora deputado estadual. Não posso deixar de contar com a experiência dele. Mas, sendo eu a prefeita, quem vai executar é Miriam e não Tony. Eu lembro que na Assembleia Legislativa sempre diziam a “esposa de Tony”, quando se referiam a mim. Mas saí de lá como a deputada Miriam.

A senhora esteve recentemente envolvida em discussões sobre o uso de novas mídias para a campanha eleitoral. O que essa estratégia de mídia pode agregar ao pleito em Caruaru?
É importante, inclusive, para a juventude que vive nas redes sociais. Vi uma pesquisa do ano passado que a procura do Orkut ainda era muito grande em Caruaru, mas o Facebook já estava chegando perto e uma minoria usava o Twitter. Eu participo mais do Facebook. Desde que nós possamos usar essa ferramenta de modo correto, ela é muito importante numa campanha.


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro