2 de abril de 2014 às 14h35min - Por Mário Flávio

O Ministério Público de Pernambuco publicou no Diário Oficial uma série de ações solicitando a instalação de inquéritos civis sobre fatores delicados da educação municipal. Segundo a promotora de Justiça de Defesa da Cidadania de Caruaru, Silvia Amélia, investigações devem ser feitas para apurar possíveis irregularidades em escolas do município.

Entre os problemas apontados uma agressão/bulliyng no interior da Escola Cezariana. A falta de estrutura de unidades também será alvo de inquérito civil. Na escola José Clemente de Souza, localizado na Zona Rural de Caruaru, foi aberto processo para analisar o espaço físico inadequado, funcionando em vários prédios (anexos), e segundo o MPPE, não havendo fornecimento de água, esgoto sanitário por meio de fossa, “o que deixa mau cheiro nas salas de aula, não há espaço para recreação, atividades esportivas e refeitórios entre outros”, diz trecho da ação.

Também foi aberto procedimento preliminar de investigação para apurar possíveis atos infracionais e agressões de crianças ocorridos no interior da Escola Leudo Valênça. A situação Pedagógica também será alvo de investigação, como é o caso da Escola Duque de Caxias. A falta de aulas nos anexos na Escola Pedro de Souza e a ausência de vigilantes estão sendo questionadas. A análise da estrutura física da creche da Escola Duque de Caxias (CEMEI – Maria do Carmo Queiroz) também será feita. Em alguns casos, a prefeitura terá 10 dias para enviar as informações sobre os questionamentos.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro