20 de agosto de 2018 às 19h48min - Por Mário Flávio

Do G1

Os candidatos ao governo de São Paulo João Doria (PSDB) e Paulo Skaf (MDB) aparecem tecnicamente empatados na pesquisa Ibope/Estado/TV Globo divulgada na tarde desta segunda-feira. A margem de erro é de três pontos porcentuais. O tucano tem 20% do eleitorado, enquanto Skaf tem 18%. Na sequência, o atual governador Márcio França (PSB) aparece com 5%, seguido de Luiz Marinho (PT), com 4%. O representante do DC na disputa ao Palácio dos Bandeirantes, major Costa e Silva, tem 3%.

A pesquisa ainda revela que a Professora Lisete, do Psol, tem 2%. Aparecem com 1% os candidatos Marcelo Cândido (PDT), professor Claudio Fernando (PMN), Rodrigo Tavares (PRTB) e Toninho Ferreira (PSTU). Os candidatos Edson Dorta (PCO) e Rogerio Cheque (Novo) não pontuaram. Votos nulos e brancos somam 29%. Aqueles que não souberam responder ou não opinaram chegam a 15%.

Essa é a primeira pesquisa Ibope divulgada após o registro das candidaturas, no último dia 15, quando 12 candidaturas foram confirmadas.

Também foram avaliadas as intenções espontâneas de voto, quando o nome do candidato não é informado ao eleitor. Nesse caso, Doria aparece com 5%, Skaf com 4% e França tem 2%. Marinho tem 1%.

O levantamento também avaliou a rejeição dos candidatos. Doria está em primeiro nesse quesito. Pelo menos 35% afirmam que não votariam no tucano de jeito nenhum. Skaf está em segundo, com 23% de rejeição. Márcio França tem 11%, mas 49% dos eleitores desaprovam o seu governo. Ele assumiu o cargo em abril, quando Geraldo Alckmin renunciou ao mandato para disputar a eleição ao Planalto.

PESQUISA ANTERIOR JÁ MOSTRAVA EMPATE

A última pesquisa Ibope, feita antes do registro das candidaturas, já mostrava a tendência de empate técnico entre Doria e Skaf. Divulgada no último dia 4, a sondagem mostrou o emedebista com 22% e o tucano com 21%.

Na sequência o atual governador Márcio França e Marinho apareciam com 3%, seguidos por Lisete, Rodrigo Tavares e Toninho Ferreira com 2%. Rogério Chequer e Cláudio Fernando apareciam com 1%. Os demais candidatos não pontuavam.

Depois de 24 anos no poder no governo de São Paulo, o PSDB vê o seu legado à prova nesta eleição, que pode ser decidida no segundo turno. A última vez que isso aconteceu foi em 2002. De lá para cá, os tucanos elegeram três governadores com vitórias folgadas de José Serra, em 2006, e Geraldo Alckmin em 2010 e 2014. A eleição deste ano, entretanto, é apontada como uma das mais difíceis para o partido no estado.

Não por acaso Doria tem sido o alvo preferencial dos adversários. Ele tem sido atacado pelo abandono do cargo de prefeito para disputar o governo estadual. Doria ficou um ano e três meses à frente da prefeitura.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro