21 de julho de 2012 às 10h55min - Por Mário Flávio

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, anunciou, na sede provisória do Governo, no Centro de Convenções, a liberação de R$ 1, 069 bilhão para Pernambuco. O pleito havia sido feito pelo próprio Governador Eduardo Campos na última segunda-feira (16/7), com a entrega de uma carta-consulta ao banco.

A confirmação do empréstimo foi em entrevista coletiva logo após almoço, oferecido pelo governador Eduardo Campos. Antes, no final da manhã, Coutinho sobrevoou a área da fábrica da Fiat, em Goiana, a Arena da Copa e o Complexo Industrial Portuário de Suape, visitando ainda o Estaleiro Atlântico Sul e as obras da Refinaria Abreu e Lima. “Eu tenho visitado vários estados e o que vejo aqui é uma verdadeira revolução industrial e com ciclo diferenciado que contempla grandes projetos”, afirmou o presidente do BNDES.

O empréstimo de R$ 1, 069 bilhão é resultado da nova linha de crédito lançada há cerca de um mês pelo Governo Federal para atender todos os Estados: o Pró-investe. Em Pernambuco, a aplicação do montante será no reforço de projetos de obras estruturadoras já em andamento, o que garantiu celeridade à liberação do fundo.

Entre eles estão a conservação e recuperação de 39 estradas distribuídas em toda a região de desenvolvimento do Estado, a construção de sete Unidades de Pronto Atendimento (UPAE) especialidades e a implantação de novas barragens na Mata Sul. A cada ano, Pernambuco vem crescendo o nível de investimentos. Em 2011, somando-se os investimentos públicos e privados, o estado alcançou a marca de R$ 4,6 bilhões, ante 600 milhões realizados em 2006.

Já para a infraestrutura de Suape, de acordo com Coutinho, o BNDS vai disponibilizar, dentro de três semanas, a primeira parcela de R$ 357 milhões, do montante total de R$ 920 milhões previstos. Ainda na carteira de investimentos do BNDES em Pernambuco, há outras duas linhas de crédito em negociação: R$ 423 milhões, voltados para as obras de barragens e das UPAE; e R$ 550 milhões que serão utilizadas nas contrapartidas das obras de mobilidades, a exemplo dos quatro viadutos da Av. Agamenon Magalhães, os corredores Norte-Sul e Leste-Oeste, entre outras.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro