17 de maio de 2013 às 08h25min - Por Mário Flávio

20130517-070832.jpg

Na reunião dessa quinta-feira (16), na Câmara Municipal de Caruaru, o vereador Eduardo Cantarelli (PSDB) resolveu mostrar que anda lendo o Diário Oficial do município, disponível no portal da prefeitura, e que não está vendo muito sentido em algumas licitações de compras feitas pela atual gestão. O parlamentar fez duras críticas a um registro de tomada de preços para aquisição de lote de protetores solares, à empresa Merconsumo, destinado ao uso dos servidores da DESTRA que trabalham externamente, no valor total de R$ 64.980,00, de 8 de abril, para vigência de um ano. O tucano garantiu em discurso na tribuna que calculou que a quantidade de protetores adquiridas seria desnecessária e que representa desperdício de dinheiro público.

“Esse valor vai dar 6.500 protetores. Dividindo isso para 50 agentes, vai dar 130 protetores por agente. Será que eles vão perder? Será que vai pra prefeitura? Por que o prefeito não lembra dos agentes de saúde, que também trabalham externamente, nas ruas e na zona rural, levando sol todos os dias. Para isso não há sensibilidade, pois se brinca com o dinheiro público, na compra de protetor solar. Isso me preocupa muito”, criticou Eduardo, que chegou a citar ainda que consultou uma dermatologista – irmã dele – para avaliar se seria possível utilizar todo o material adquirido em um período de 1 ano, tendo como resposta que um servidor da autarquia poderia utilizar em média 4 protetores por ano e ainda segundo ele, os servidores da Destra poderiam utilizar até 10 protetores durante 12 meses.

Além de questionar os registro de preço dos protetores, o parlamentar também disparou contra o valor da compra de cartuchos de impressão voltados também para a Destra, no valor de R$ 188.250,00, à empresa Emp. dos Santos Pinto & Cia, datado também de 8 de abril. “Isso são provas concretas. A prefeitura deixa transparente a brincadeira com dinheiro público: 190 mil para a compra de cartuchos. Isso é muito engraçado”, criticou. Ele ainda continuou as alfinetadas aproveitando a deixa de que a Casa estava lotada de agentes comunitários de saúde, que aguardavam aprovação de um requerimento que tratava do Plano de Cargos e Carreiras da categoria. “O dinheiro público deve ser repassado para o município de forma correta, é algo que deve ser averiguado. Não se pode deixar que haja trabalhadores menos favorecidos, como é o caso dos agentes de saúde, que vieram à Câmara para reivindicar aumento nos salários para R$ 950,00, quando se poderia gastar muito menos na aquisição desse material, em torno R$ 15 mil com esses benditos protetores, e redistribuir o restante do dinheiro para outras repartições”, continuou.

RESSALVAS

Eduardo ainda foi questionado pelo vereador Marcelo Gomes, sobre a vigência do registro de preço, mas não houve réplicas mais contundentes aos questionamentos do tucano, tendo em vista, aliás, que os próprios governistas não teriam uma resposta fundamentada por parte da prefeitura para rebater Cantarelli. Na verdade, o próprio Eduardo também não demonstrou que tenha entrado em contato com a gestão para pedir esclarecimentos sobre as licitações e o blog entrará em contato com a prefeitura para que haja um pronunciamento sobre os valores registrados para a compra de protetor solar e cartuchos de impressão para a Destra.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro