6 de julho de 2012 às 20h10min - Por Mário Flávio

Tendo como homenageado Luiz Gonzaga, começou nesta sexta-feira (06), com a presença do governador Eduardo Campos e da primeira dama, Renata Campos, a XIII Feira Nacional de Negócios do Artesanato (Fenearte). São esperadas 300 mil pessoas à feira, que traz nesta edição 7 mil expositores e recebeu investimentos de R$ 4 milhões. A estimativa de negócios gira em torno de R$ 300 milhões. A Fenearte 2012 vai até o próximo dia 15, no Centro de Convenções de Pernambuco.
 
O governador Eduardo Campos destacou a Fenearte como “o maior evento do artesanato brasileiro”, e citou os desdobramentos de se investir no artesão.  “Faz parte da economia criativa que gera milhares de oportunidades de trabalho, é algo muito importante para que o Brasil perceba a expressão e a força da cena cultural pernambucana. É a arte transformada em oportunidade de trabalho, em desenvolvimento sustentável para muita gente”, disse Eduardo.

Além de milhares de artesãos pernambucanos e de outros estados brasileiros, há ainda os da Áustria, Camboja, Catar, Congo, Líbia, Turcomenistão, gente de 40 países alocados em 29 mil m² de área de exposição.
 
A Fenearte faz parte do Programa do Artesanato de Pernambuco (Pape), que busca valorizar e difundir a riqueza cultural do estado, além de estimular o potencial de crescimento dos artesãos. “Todo o dinheiro gerado aqui vai ser investido diretamente numa cadeia produtiva de artistas, importante para inclusão social e também para divulgação da cultura de nosso estado”, disse o secretário de Turismo, Alberto Feitosa.

A cenografia será recheada de reproduções de símbolos que compõem a estética do sertão e que remetem ao universo “gonzaguiano”. O destaque é para o Espaço Luiz Gonzaga, montado no mezanino numa área de 120 m² com painéis iconográficos, TVs reproduzindo shows e documentários sobre a vida e obra do Rei do Baião. Mais informações sobre a Feneart podem ser encontradas no site http://www.fenearte.com.

Incentivo – A Agência de Fomento de Pernambuco criou uma linha de crédito específica para garantir capital de giro e estimular a produção de artesanato, o “Cred Arte”. Ao todo, o valor destinado é de R$ 1 milhão, com três meses de carência e até 12 meses para pagar. Podem ter acesso ao crédito empreendedores individuais e micro e pequenas empresas. Quem tiver interesse pode procurar se inscrever no site da Agefepe, www.agefepe.pe.gov.br. 
 


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro