1 de dezembro de 2020 às 09h47min - Por Mário Flávio

Se a prefeita reeleita de Caruaru entrou para a história como a política mais votada da história após 114 mil votos, o mesmo sucesso não foi obtido com relação as vagas na Câmara Municipal. O governo calculou eleger 18 vereadores, as urnas abriram e só vieram 14 vagas.

No entanto, chegar aos 16 votos e ter a chamada maioria de 2/3 para votações polêmicas, principalmente aquelas que envolvem dotação financeira, não será uma tarefa difícil e três parlamentares devem aderir a base governista e começar o ano ao lado de Raquel.

Dois nomes são de ex-vereadores que estão voltando para a Casa de Leis: Val Lima e Carlinhos da Ceaca. O primeiro foi eleito pelo PSL e mesmo fazendo parte do partido da base aliada de Lessa, ambos não pediram votos um para o outro, já que Val foi um dos dez vereadores presos na operação Ponto Final.

A situação gerou constrangimento para ambos durante toda a campanha e a migração de Val para a base é quase automática. Já Carlinhos da Ceaca foi eleito no MDB e há algum tempo faz parte do grupo liderado pelo deputado estadual Tony Gel.

No entanto, ainda não é certo que ele ficará na oposição, mas talvez o acordo feito antes da eleição mantenha ele fora da base governista, mas fazendo a chamada oposição propositiva, como fez o Galego de Lajes, reeleito pelo MDB e que passou os quatro anos na oposição, mas sem dar muita dor de cabeça a prefeita Raquel Lyra.

A outra vereadora que pode vir para o governo é Mery da Saúde. A esposa do vereador Cecílio Pedro foi eleita pelo PSD, que teve como candidato Raffiê Dellon. O marido dela não foi candidato após ter sido escanteado por PSDB e MDB e talvez esse rancor possa ser superado com a indicação de alguns nomes para compor o novo governo.

Nomes ligados ao Delegado Lessa poderão vir a fazer do novo governo, mas no primeiro momento o quarteto deve ficar mesmo na oposição e a base de Raquel receber Val e Mery e com isso já ter em 1º de janeiro os 16 votos necessários para não ter tanta dor de cabeça como nos dois primeiros anos da atual gestão. A conferir.

Lessa…

O primeiro teste de uma possível unidade para os vereadores de eleitos com Lessa é a eleição da Mesa Diretora da Câmara de Caruaru, que acontece no dia 1º de janeiro. Anderson Correia, Cabo Cardoso (ambos também do Progressistas), Kátia das Rendeiras (Republicanos) e Irmão Ronaldo (PROS) já estão sendo procurados pelos possíveis candidatos para uma eventual composição.

…Vaga da oposição

Para ter vaga na Mesa Diretora a oposição terá uma boa quantidade de votos para apoiar uma ou outra candidatura. Um exemplo disso é o Galego de Lajes, atual vice-presidente da Câmara. Ele sempre teve bom trânsito com o governo e acabou contemplado na vaga de vive. Pode até repetir a dose, vai depender muito das negociações.

Muito cacique…

O PSDB vai ter que trabalhar muito para evitar uma fissura na base do partido logo no começo do mandato. O partido tem cinco nomes interessados em assumir à presidência da Câmara: Lula Tôrres, Bruno Lambreta, Ricardo Liberato, Leonardo Chaves e Perpétua Dantas. Com tantos bons nomes é praticamente impossível não ter arestas e um ou outro sair abusado com as situações que virão pela frente.

…Bastidores

A eleição da Câmara acontece daqui a um mês, mas nos bastidores as articulações já estão acontecendo a todo vapor. Geralmente a decisão só acontece na véspera da eleição e as chapas são montadas praticamente na hora. Tradicionalmente o prefeito ou prefeita não interfere na eleição e deixa os vereadores se resolverem, mas com todo esse pessoal envolvido, a prefeita Raquel Lyra com certeza tentará evitar arestas.

Conversou…
A prefeita também está conversando com a oposição. O blog apurou que Raquel Lyra já teve reunião com os 23 vereadores eleitos. Ela quer ter uma boa relação e evitar críticas dessa primeira gestão que não conversou com a oposição. Os vereadores Marcelo Gomes e Daniel Finizola, sempre reclamaram disso. Curioso é que ambos não estarão na Câmara em 2021.

…Mais conversas

Raquel Lyra também nas conversas já recebeu os vereadores que não conseguiram renovar os mandatos. Dos 17 atuais do PSDB, dez perderam à reeleição e alguns com votações expressivas. Ela já recebeu a todos e alguns suplentes também que tiveram boas votações para informar que não vai deixar os mesmos desamparados. A composição do novo governo que será discutida em breve terá esse jogo de cadeiras como prioridade. Lá pelo dia 20 de dezembro a tucana deve chamar os vereadores e informar a eles como eles serão aproveitados no novo governo.

Líder da oposição…

O líder da oposição terá um papel fundamental para organizar as ações do bloco na Casa. Talvez um nome dos vereadores remanescentes seja escolhido: Fagner Fernandes e Galego de Lajes estariam nesse contexto. Ambos fazem bons mandatos, mas têm estilos diferentes. Se for um novato, Anderson Correia pode ser uma opção. Advogado e jornalista qualificaria o debate.

…E o governo?

No governo, o líder deve ser alguém que sobre da eleição da Mesa Diretora. O certo é que terá sempre boa conversas com a oposição e ainda circular bem com o próprio governo, para sempre ter a defesa da gestão na ponta da língua.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro