7 de novembro de 2013 às 00h03min - Por Mário Flávio

_937a6e6566e5a0f8b0b1dfb969e52ff6

Com informações do Giro dos Esportes

Na tarde desta quarta-feira (06), a diretoria do Central concedeu uma entrevista coletiva na Sala de Imprensa jornalista Souza Pepeu, no estádio Lacerdão. Em pauta, uma herança maldita na ordem de quase 500 mil reais, deixados pela gestão Sivaldo Oliveira.

Estiveram presentes o presidente Chico Noé, o presidente do conselho deliberativo João Tavares, o conselheiro Sérgio Pepeu e o diretor jurídico Milton Figueiredo. Ambos explicaram os débitos deixado pela administração passada. “Chega perto dos 500 mil reais”, disse João Tavares.

A lista é extensa. De acordo com um documento apresentado o maior débito é com Federação Pernambucana de Futebol, no valor de R$ 166 mil. Existem débitos com hotel, jogadores, funcionários entre outras coisas. Na ocasião, a diretoria disse que uma empresa será contratada para fazer uma auditoria dos últimos cinco anos de administração na patativa do Agreste.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro