2 de abril de 2015 às 18h16min - Por Mário Flávio

 

Após a decisão em manter o jogo do Central em Caruaru pelas semifinais do Campeonato Pernambucano, a diretoria do Central mostrou que o compromisso com a cidade e com os torcedores do time foi além de questões financeiras. Mesmo que um jogo na Arena Pernambuco desafogasse as finanças do clube por um dois meses.

Diante da negativa a Arena resta agora fechar o ciclo de apoio à direção do time e jogadores do atual elenco. A explicação de manter o jogo em Caruaru é simples, faz tempo que o alvinegro não chega numa decisão e nunca o time esteve com tantas chances de chegar às finais. O Central montou um bom elenco, tem um técnico que conhece de futebol e adversários que não merecem tanta confiança. 
Além disso, a torcida tem confiança no time, principalmente pelos resultados conquistados. Resta agora ao torcedor de Caruaru, e a imensa maioria gosta do Central, ir a campo no jogo contra o Santa Cruz. Se teremos 10, 12 ou 15 mil pessoas ainda não sabemos, mas a direção do clube merece o voto de confiança. Manter as contas de um time como o Central não é fácil. À folha gira em torno de R$ 150 mil, fora as despesas diárias. Como o apoio das empresas da cidade é pouco, resta a um grupo de abnegados ajudar de todas as formas o clube. 
João Tavares, Sérgio Pepeu, Chico Noé, Kiko Beltrão, Demóstenes Félix, Milton Figueiredo e tantos outros que dedicam boa parte do dia para gerir o clube. A eles se juntam outros tantos centralinos históricos que mantém a bandeira do clube erguida, mesmo diante de tantas dificuldades, principalmente no que diz respeito às questões financeiras. A direção acertou e resta agora ao torcedor ir a campo e incentivar o Central. Avante, Patativa! 

Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro