24 de agosto de 2012 às 12h00min - Por Mário Flávio

Mesmo com uma hora de atraso, o candidato a vice-prefeito na chapa de Miriam Lacerda (DEM), Diogo Cantarelli (PSDB), encerrou a série de entrevistas com os candidatos a vice-prefeito de Caruaru no programa Mesa Redonda, da Rádio Cultura do Nordeste. No início da entrevista, o tucano explicou os motivos de ter desistido de sair candidato a prefeito e aceitar a vaga de vice na chapa de oposição. “Aceitei ao convite de Miriam Lacerda por acreditar que o nosso grupo unido pode acrescentar mais para Caruaru, por isso que decidimos nos unir. Miriam é uma pessoa com histórico limpo e não faz política por interesse pessoal ou financeiro, ela quer fazer apenas o bem por Caruaru”, pontuou.

O candidato destacou a importância de FHC e de outras lideranças do partido para o apoio ao Democratas. “O PSDB é um partido de história e Fernando Henrique Cardoso foi responsável por estabilizar o Brasil. Tudo resultado de um homem técnico e com a responsabilidade de colocar o país no eixo. Para Caruaru a decisão foi tomada por um colegiado, e tanto Sérgio Guerra, quanto Bruno Araújo, concordaram, com a ideia de eu assumir a vaga e que o melhor para Caruaru é Miriam Lacerda”, disse.

Sobre as críticas da oposição, ele disse que sempre vão existir, e que caso seja eleito, vai ter um governo aberto a críticas. “Em toda a gestão as críticas vão ter que existir. Hoje mesmo fizemos uma reunião com a nossa equipe e ouvimos críticas para melhorar. Toda gestão deve ser assim, e iremos governar ouvindo as críticas da população, só assim acreditamos que poderemos melhorar, e isso não acontece com a atual gestão”, explanou.

O tema saúde também foi amplamente debatido por Cantarelli, que voltou a disparar contra a atual gestão. “As críticas sobre saúde são diárias e não somos nós que estamos dizendo, basta olhar para as pessoas que enfrentam problemas diariamente. Vejam a questão dos PSFs, temos 42 e apenas 25 com médicos. Nós entregamos ao atual governo três hospitais municipais e tecnicamente existe uma falha muito grande na secretaria de Saúde e vamos corrigir isso. Não somos nós que estamos dizendo isso, são as pessoas que têm que ir para outras cidades em busca de atendimento”, disparou.

O candidato ainda disparou contra o vice-prefeito Jorge Gomes. “É contraditório ter um vice-prefeito médico, que foi demitido pelo próprio Zé Queiroz, quando foi secretário de saúde, na segunda gestão dele. Ele também exerceu a função de secretário de Estado no início do governo de Eduardo Campos e a saúde está um caos em Caruaru, isso não podia ter acontecido. Assumo o compromisso de mudar essa realidade, a partir de primeiro de janeiro de 2013″, ponderou.

Sobre as críticas da base governista, de que o discurso da oposição é vazio, Diogo foi enfático. “Vamos levar a campanha para o campo do diálogo e vamos ter que apresentar propostas para saúde, educação, infraestrutura educação, mas a saúde é algo que tem que ser priorizado, se passaram três anos e meio e nada foi feito, principalmente pelo fato de o atual governo ter pegado uma saúde estruturada. Quem reclama da saúde é o povo e não nós que estamos pleiteando. O nosso governo foi exemplo na saúde e temos como fazer funcionar uma saúde de qualidade”, garante.

O tucano ainda rasgou elogios para o vice-governador, João Lyra (PDT), que segundo Diogo, conseguiu minimizar o caos na saúde municipal. “Temos que seguir o exemplo das UPAs estaduais, que foram trazidas pelo vice-governador João Lyra, que tem compromisso com Caruaru. A saúde não está pior, graças a essa UPA, que desafoga a quantidade do atendimento precário nas unidades de saúde municipais”, ponderou.

20120824-120103.jpg


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro