4 de janeiro de 2012 às 15h52min - Por Mário Flávio

No atual impasse do Ministério da Integração Nacional, denúncias haviam apontado que o ministro Fernando Bezerra Coelho teria utilizado 90% do orçamento de combate a enchente e desastres naturais para Pernambuco, o que foi apontado como direcionamento político, em reportagem do jornal O Estado de S. Paulo. O jornal O Globo, inclusive, divulgou na manhã desta quarta (04), que a Ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffman, sob determinação da presidente Dilma, teria feito intervenção no ministério, para adotar critérios mais técnicos de aprovação de recursos para combater desastres naturais.

Para a oposição emPernambuco, isso é um prato cheio de críticas. Em seu perfil no twitter, o deputado estadual Tony Gel (DEM) já disparou: “O Ano começa com novidades: ñ faz 15 dias, o Min. Fernando Bezerra coelho era muito elogiado por Dilma. Agora, é desautorizado por ela” @tonygel25. No entanto, ele mesmo amenizou seu comentário. “Na verdade, a Mata Sul de PE tem sido muito castigada pelas enchentes e carece de investimentos. O Gov. Fed. Deve ajudar sim o Estado!” @tonygel25. Enquanto isso, o deputado federal refirmava as declarações do governador Eduardo Campos: “Decisão d mandar dinheiro do ministério da Integração para Pernambuco foi da presidenta Dilma, do ministro Gilberto Carvalho e do min. FBC”, @WolneyQueirozM.

EXPLICAÇÕES

Hoje, o Ministro saiu de seu período de férias para dar entrevista coletiva, em Brasília, segundo ele para falar sobre a situação das chuvas no Brasil, depois de estragos causados em Minas Gerais e Rio de Janeiro, mas também procurou justificar a liberação das verbas para Pernambuco. Ele explicou que a priorização de R$ 70 milhões para Pernambuco foi feita pelo Ministério da Integração em discussão técnica com as pastas de Planejamento e da Casa Civil. Além disso, em nota, a ministra Gleisi Hoffman também frisou que não houve intervenção na pasta de FBC, nem houve orientação de Dilma para fazer isso. Nas palavras da ministra, essas denúncias seriam uma forma de criar intrigas.

De fato, analistas políticos já argumentaram nesse últimos dias que as alegações contra Fernando Bezerra Coelho ataques de fogo amigo, de petistas do sudeste, focando desgastar a expansão do PSB, ou mesmo uma questão de bairrismo, tendo em vista o velho embate entre Sul e Nordeste, no que se refere a investimentos. No entanto, o ministro FBC enviou nota, pela manhã, explicando também que a  partir de 2012, o Programa de Prevenção e Preparação para Desastres deixará de existir, sendo substituído pelo Programa de Gestão de Riscos e Resposta a Desastres. Esse novo programa é mais amplo, alocando todas as ações afins de seis ministérios (Integração Nacional, Cidades, Ciência e Tecnologia, Defesa, Meio Ambiente e Minas e Energia).


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro