2 de dezembro de 2020 às 08h28min - Por Mário Flávio
Taxa de homicídios em Caruaru foi de 64 por grupo de 100 mil habitantes

Uma quadrilha tomou as ruas de Cametá, no interior do Pará, a 235 km de Belém, no começo da madrugada desta quarta-feira (2), para assaltar um banco.

Moradores relataram em redes sociais uma noite de terror. Uma pessoa morreu, segundo o prefeito Waldoli Valente (PSC).

A ação tem as mesmas características da registrada em Criciúma, no Sul de Santa Catarina, na madrugada de terça (1º), em que uma quadrilha também fez ataques pelo município em ação para assaltar uma agência bancária.

Assim como ocorreu em Criciúma, a quadrilha que atacou Cametá também usou reféns como escudos para se locomover pelas ruas da cidade. As pessoas foram capturadas em bares. Os criminosos atiraram para cima durante mais de uma hora. O grupo usou armas de alto calibre e explosivos.

A quadrilha fugiu de carro e em barcos. A cidade fica às margens do Rio Tocantins.

Criciúma: o outro caso

O Instituto Geral de Perícias (IGP) informou que nove dos 10 carros usados pelos criminosos na fuga do assalto em Criciúma, no Sul catarinense, eram blindados e que os veículos foram pintados de preto para camuflar. O roubo ocorreu no final da noite de segunda (30) e primeiras horas da madrugada desta terça.

Segundo o delegado Anselmo Cruz, da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), pode haver catarinenses envolvidos na ação, mas a suspeita é que ação seja de pessoas de outros estados, especialmente de São Paulo.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro