23 de março de 2014 às 09h31min - Por Mário Flávio

Do blog de Josias de Souza

O presidenciável Eduardo Campos (PSB) está com a língua cada vez mais solta. Ainda na lanterninha das pesquisas, já se deu conta de que, numa travessia presidencial, é melhor entrar logo na briga do que morrer como um transeunte inadvertido. Neste sábado (22), Campos fez com Dilma Rousseff algo que o petismo se habituou a fazer com o tucanato: instilou um boato.

“Em três anos, a Petrobras vale a metade do que valia e deve quatro vezes mais do que devia”, disse. Às vezes fico seriamente desconfiado se isso não faz parte de um jogo para desvalorizar a Petrobras e vender a Petrobras. Nós precisamos fazer o jogo correto, republicano, brasileiro, que é proteger a maior empresa pública do Brasil.”

Nas duas últimas sucessões, o PT propagou o lero-lero segundo o qual os rivais Geraldo Alckmin e José Serra, se enviados ao Planalto, privatizariam bancos e empresas estatais, entre elas a petroleira. E os tucanos não tiveram competência para desarmar a armadilha. Agora, Eduardo Campos informa aos ex-aliados: quem com Petrobras fere, com Petrobras pode ser ferido.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro