7 de junho de 2013 às 07h25min - Por Mário Flávio

20130607-014817.jpg

Após a presidente Dilma Rousseff vetar treze dispositivos da Medida Provisória 595, a MP dos Portos, que regulamenta o setor portuário do Brasil, o deputado federal Augusto Coutinho (DEM-PE) criticou duramente a postura da petista nesta quinta-feira (6). “O governo é atabalhoado. O que a base (governista) acerta, a presidente não cumpre. A presidente é autoritária e todo mundo sabe”, disse o democrata. Na oposição, os parlamentares acreditam que a presidente Dilma mostrou que a palavra do governo não vale nada diante do Parlamento. Um dos pontos retirados por Dilma foi a prorrogação obrigatória de concessões em portos públicos por mais de 25 anos – podendo chegar a 50. A presidente também vetou a criação de terminais industriais nos portos organizados. “Essa é a forma de ela tratar seus subordinados. Isso é um verdadeiro samba do criolo doido e a base está desgastada.

A aprovação do texto final da MP dos Portos, aconteceu na manhã do último dia 16 de maio, após 37 horas de debates, bate-bocas, tumultos, acusações e incertezas e seguiu para o Senado, que ratificou a posição da Câmara. Augusto Coutinho foi primeiro parlamentar a sair em defesa da autonomia do Porto de Suape, no litoral Sul de Pernambuco. Segundo o democrata, a bancada estadual se posicionou e tentou mudar o texto através uma emenda ao texto original garantindo a flexibilização, mas foi derrotada pela maioria. Pelo menos 15 pernambucanos participaram dessa votação, 12 a favor da emenda e três contra. Na ocasião, Coutinho, disse que o resultado favorável à MP dos Portos já era esperado, mas o desgaste entre base e governo foi além. Com o posicionamento de Dilma, tende a fortalecer um movimento já crescente na Câmara para que o Congresso aprecie os vetos presidenciais.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro