27 de agosto de 2012 às 20h59min - Por Mário Flávio

20120827-205859.jpg

A coordenação de campanha do prefeito de Caruaru e candidato à reeleição Zé Queiroz (PDT) fez uma denúncia contra o guia eleitoral da candidata a prefeita Miriam Lacerda (DEM), quanto a um vídeo que apresentaria uma suposta farsa.

No guia de TV desta segunda-feira (27) de Zé Queiroz, foi apresentado o trecho de um dos primeiros vídeos do guia da democrata, no qual um senhor chamado Roberto Rosendo expõe que seu restaurante no Alto do Moura teria sido prejudicado pela promessa do prefeito em implantar o projeto de reconstrução do bairro, mas sem ter cumprido a promessa. No entanto, ele não seria dono do estabelecimento, nem do terreno onde foi construído o restaurante.

Em uma entrevista coletiva convocada pela própria coordenação de Queiroz, com a presença dos coordenadores de campanha Aquiles Lopes, Bruno Martins e Louise Caroline, foi apresentado aos jornalistas aquele que seria o verdadeiro proprietário do terreno e do restaurante, o senhor Carlos de Araújo.

Segundo Carlos, não houve autorização para que a equipe de Miriam entrasse no local e fizesse a gravação. No entanto, ele não soube dizer como Roberto teria tido acesso ao local, sem autorização, o que indicaria ainda que teria se tratado de uma invasão. “Eu tenho o estabelecimento há um ano, o homem que aparece no vídeo é quem me vendeu o terreno, que foi quitado.Eu não sei como ele teve acesso, mas não autorizei. Procurei meu advogado para analisar quais os procedimentos que eu poderia tomar”, alegou.

Carlos mora ao lado do restaurante e disse que só soube da gravação quando vizinhos começaram a ligar pra ele questionando se ele havia autorizado a entrada. “Eu fui muito constrangido com isso, porque todos me ligaram para saber o que havia ocorrido. Eu não tenho reclamações a fazer contra a administração de Queiroz no Alto do Moura nem contra o Revitalino e não concordei com o que foi veiculado, meu restaurante foi construído a partir de convênio com o Sebrae”, disse.

Neste caso, há duas questões que precisam ser esclarecidas: primeiro, se comprovado que Roberto não é proprietário do terreno do restaurante, a coordenação de Miriam pode ser multada e até o risco de sofrer a penalização de suspensão do guia. Segundo, se não houve autorização para que a equipe entrasse, insinuaria que houve invasão no local. “A coligação Caruaru com a Força do Brasil vai tomar medidas judiciais para tomar providências contra o guia. A Justiça prevê que nao é permitido utilizar o guia para apresentar farsas. É possível que haja multa, ou mesmo suspensão do guia”, explicou o coordenador jurídico de Queiroz, Bruno Martins.

Carlos não entrou em detalhes sobre as providência que iria tomar, pois explicou que ainda estava sendo orientado por seu advogado. No entanto, segundo um dos funcionários do restaurante, que se apresentou depois como sócio do estabelecimento, identificando-se como Valdinho, Roberto teria entrado no restaurante porque a porta do estabelecimento estava aberta e nenhum dos funcionários teria impedido a entrada porque ele seria de confiança do proprietário. “A história não foi bem assim, a porta estava aberta e ele entrou sem problemas, já que é uma pessoa que convive diariamente conosco. A questão é que nós não autorizamos a gravação”, disse o comerciante.

A coordenação de campanha de Miriam não se pronunciou ainda sobre a denúncia.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro