9 de agosto de 2013 às 17h03min - Por Mário Flávio

20130809-170244.jpg

Começou nesta sexta (9), no auditório da Faculdade de Filosofia de Caruaru – Fafica, a III Conferência Municipal de Cultura. Na ocasião, foi realizado o credenciamento dos interessados, breve conversa sobre a importância da manutenção da cultura e implementação de políticas públicas voltadas para a mesma e palestra com o produtor cultural João Roberto Peixe sobre o Sistema Nacional de Cultura – SNC.

O caruaruense Berinho do acordeom deu início à solenidade de abertura tocando os hinos nacional, de Pernambuco e, por fim, de Caruaru. As vozes dos presentes ecoaram no auditório e emocionaram a todos durante execução dos hinos.

Estiveram à mesa o presidente da Fundação de Cultura e Turismo, André Alexei, a secretária de Participação Social, Louise Caroline, o gerente de ações culturais, Djair Vasconcelos, o coordenador geral de mecanismos formais de Participação Social, Marcelo Pires de Mendonça, o produtor musical fundador do “Abril pro Rock”, Paulo André Morais, a professora da Universidade de Pernambuco Paula Gonçalves entre outros importantes nomes no cenário nacional da cultura.

O gerente de ações culturais, Djair Vasconcelos, deu início à conversa ressaltando a importância da conferência estar sendo realizada em Caruaru. “Estamos falando do exercício da cidadania e da democracia. Agora, a discussão se amplia pela maior participação. A cultura é um rolo de coisas que se cruzam, que conversam”.

Para o produtor cultural e musical Paulo André Morais, o resgate da cultura é fundamental. “Quanto mais identidade, mais espaço no mundo globalizado. Caruaru não pode deixar a rica cultura que possui se perder com o tempo. Discussões como as que serão realizadas nesses dois dias, devem ser ressaltas aqui e em qualquer lugar que possua a riqueza cultural.”

André Alexei, presidente da Fundação de Cultura e Turismo, vê na conferência, a possibilidade de propostas serem discutidas. “É muito importante as pessoas participarem. Aqui nós vemos pessoas que vivem cultura, que respiram cultura.Essas pessoas precisam receber atenção. Queremos que esses dois dias sejam aproveitados da melhor forma, pois nós seremos extremamente sensíveis a tudo o que for proposto”, explicou.

A secretária de Participação Social, Louise Caroline, lembrou dos grupos culturais durante sua participação: “Temos que respeitar e admirar as pessoas que levam o nome da nossa cidade para o mundo. Estou muito feliz em ver os bacamarteiros, personagens da música e teatro aqui. A arte é do cidadão e pro cidadão. Vamos discutir política pública para a cultura e ampliar ainda mais os nossos canais de diálogo”.

Da Assessoria


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro