2 de abril de 2013 às 20h25min - Por Mário Flávio

Saiu a sentença judicial hoje, terça-feira (02), para Teócrito Amorim, que agrediu a professora Universitária Amanda Figueroa, de 34 anos, no mês de fevereiro de 2013, em Petrolina no Sertão. Ele foi condenado a cumprir a pena de um ano sete meses e 15 dias em regime fechado (sem ter o direito de recorrer). A audiência ocorreu no Fórum Souza Filho naquele município.

Representantes da Secretaria da Mulher estiveram várias vezes em Petrolina onde se reuniram com representantes dos três Poderes (executivo, Legislativo e Judiciário), a fim de agilizar o processo de julgamento do agressor da professora.  A diretora de Enfrentamento da Violência contra a Mmulher da SecMulher, Fábia Lopes conversou com a jovem, oferecendo total apoio a moça, para que a Justiça no caso fosse realmente feita e de forma rápida. “A sensação é de dever cumprido”, diz a gestora.

CASO AMANDA

A história da professora virou um símbolo para o enfrentamento da violência contra as mulheres em Petrolina, e no Estado, devido a sua gravidade. Os dois namoraram há cerca de quatro meses até o fato acontecido e, desde o fim do 2012, ele começou a apresentar um comportamento agressivo.

Amanda Figueroa foi espancada pelo namorado dentro da própria casa e na presença de sua filha. Ele foi a sua residência e depois de uma discussão verbal, tentou matá-la enforcada e a agrediu com vários socos. Segundo ela, Teócrito só parou de bater quando a mesma se fingiu de morta.

Ela chamou a polícia, após ser socorrida e Teócrito foi preso em flagrante. O acusado respondia processo em liberdade após receber o habeas corpus porque todos os prazos para a sua permanência na detenção havia expirado.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro