5 de outubro de 2013 às 18h48min - Por Mário Flávio

edu_marina

A decisão a ex-senadora Marina Silva de se filiar ao PSB do governador Eduardo Campos foi o fato novo nas articulações para sucessão presidencial em 2014. Segundo interlocutores de Marina, ela aceitou ser candidata a vice. O anúncio oficial da adesão ocorreu em coletiva de imprensa na tarde deste sábado (05), em Brasília. Marina fechou sua filiação e propôs ao PPS de Roberto Freire a formação de uma frente que incluiria a REDE, futuramente, mas Freire não aceitou a proposta.

No contexto

Leia nota da aliança entre PSB e Rede

No tom dos discursos de Eduardo Campos e Marina, na coletiva desta tarde, o foco era a construção de uma “Coligação Democrática”, reunindo PSB e Rede. O PSB reconhecerá a existência política da Rede e dará legenda a Marina e a todos os membros da Executiva Nacional do futuro partido. “Os brasileiros querem um Brasil melhor, mais limpo, querem derrotar a velha política. Esse país quer respeito e decência na vida pública. A política abandonou o povo, a vida das pessoas. Falta na política brasileira o sonho de transformar esse país”, destacou o governador Eduardo Campos.

Marina Silva apareceu em segundo em todas as pesquisas de opinião, com índices que variam de 25% a 16% e o governador de Pernambuco está em quarto lugar com cerca de 5% dos votos. Os socialistas não descartam uma parceria entre a senadora e o pré-candidato Eduardo Campos, numa chapa a presidente. A possibilidade de Marina não sair candidata a presidente, mas compor com outras forças políticas, saindo como vice, é uma das alternativas analisadas. No entanto, Marina saiu pela tangente quando questionada sobre isso. “Não sou uma militante do PSB, sou militante da Rede Sustentabilidade, e a Rede ainda não fez essa discussão de se vai ter vice ou não vai ter vice”, explicou.

Já Eduardo demonstrou apoio à formação da Rede. “A Rede existe porque existe um pensamento organizado que ela expressa. Existe militância nas redes sociais, nas ruas, nas fábricas, nas escolas, uma sinergia que a Rede representa. A Rede existe no coração do nosso povo, na expressão de seu prestígio. Aqueles que pensavam que o pensamento do tribunal ia matar a Rede viu hoje a Rede se agigantar”, reforçou.

Durante a coletiva, além da adesão de Marina, ingressaram no PSB três de seus apoiadores: os deputados Walter Feldman (SP) e Alfredo Sirkis (RJ), além do articulador Pedro Ivo de Souza.

Com informações de O Globo


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro