19 de fevereiro de 2021 às 13h06min - Por Mário Flávio

O início dos testes do Ramal do Agreste, obra hídrica no interior de Pernambuco, acontece nesta sexta-feira (19). O acionamento das comportas do primeiro trecho no reservatório de Barro Branco, em Sertânia, no Sertão, foi feito pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e pelo ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho (PSDB-RN).

O governador Paulo Câmara (PSB) recusou o convite para participar do evento e alegou que o atual momento da pandemia em Pernambuco “não permite aglomerações”.

A estrutura, em conjunto com a Adutora do Agreste, vai distribuir a água do Eixo Leste do Projeto de Transposição do Rio São Francisco para até 2,2 milhões de pessoas, segundo estimativa do governo federal.

A previsão de conclusão do Ramal do Agreste é até julho deste ano, e a obra está com 84,15% de execução.

Dos políticos pernambucanos, acompanharam o presidente durante o evento o senador e líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), e o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto.

As imagens da TV Brasil, emissora pública que transmitiu o evento, registraram a presença de apenas deputado federal de Pernambuco, Pastor Eurico (Patriota).

Também acompanharam Bolsonaro os ministros Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, e Rogério Marinho (PSDB-RN), do Desenvolvimento Regional.

“Garantir água de qualidade para a população e para impulsionar o desenvolvimento das nossas regiões são nossas grandes missões. Por orientação do presidente Jair Bolsonaro, fizemos todo o empenho para garantir os recursos necessários para a continuidade desse empreendimento e, hoje, avançamos mais um importante passo para a garantia de oferta hídrica no Nordeste”, afirma o ministro Rogério Marinho.

Petrobras

Durante o discurso o presidente voltou a criticar a direção da Petrobras e disse que vai zerar os impostos federais do gás de cozinha e por dois meses do diesel. “Não podemos ter reajustes de surpresa. Isso precisa ser avisado com antecedência”, disse.

Obra do Ramal do Agreste

De acordo com o Governo Federal, o acionamento das comportas possibilita o início dos testes na estrutura e o enchimento do sistema adutor até o Reservatório Góis (antigo Reservatório Negros).

Após a testagem de todas as estruturas do Ramal e, posteriormente, da Adutora do Agreste, o abastecimento poderá ser iniciado. O tempo estimado de testes é de 80 dias.

Após sair de Barro Branco, as águas passam por oito trechos de canais, quatro sifões e três túneis, que somam 37,4 quilômetros, até chegarem ao Reservatório Góis, que tem capacidade de armazenar 14,7 milhões de metros cúbicos de água. A estrutura integra o Marco 1 do Ramal do Agreste, que ainda é composto por mais dois trechos.

No total, o Ramal do Agreste tem 70,8 quilômetros de extensão e capacidade de vazão de 8 mil litros de água por segundo. Quando finalizado, vai levar as águas do Eixo Leste do Projeto São Francisco, que está em pré-operação desde 2017, à região de maior escassez hídrica de Pernambuco.

A obra tem investimento federal total de R$ 1,67 bilhão, dos quais R$ 1,3 bilhão já foram empregados. 

O Ramal do Agreste vai alimentar a 1ª etapa da Adutora do Agreste, que possui 690 quilômetros de extensão. Com a conclusão dos dois empreendimentos, 1,3 milhão de habitantes em 23 cidades pernambucanas terão abastecimento regular. Quando a 2ª etapa da Adutora do Agreste, com mais 710 quilômetros, for concluída, os beneficiários podem chegar a até 2,2 milhões de habitantes em 68 municípios.

A 1ª etapa da Adutora do Agreste está com 69% de execução e tem previsão de conclusão em dezembro de 2021. O investimento federal é de R$ 1,25 bilhão.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro