10 de outubro de 2013 às 10h55min - Por Mário Flávio

Os aposentados são de muitos golpistas. Através de empréstimos, investimentos “rentáveis”, ligações informando que tem direito a determinado valor ou até pessoas que se passam por funcionários de bancos para ajudar nas operações em caixas eletrônicos, enganam aposentados e pensionistas para extorquir dinheiro. Recentemente foi descoberta uma nova forma de atuação desses criminosos. Desta vez través de correspondência que é enviada para o endereço do beneficiário, informando que há uma verba indenizatória referente a uma ação coletiva contra a “Previdência Privada Pecúlio e Pensão do Fundo de Reserva Técnica”. Na carta, o pagamento somente será feito mediante o depósito de R$ 6.618, para custos processuais.

Este golpe já circula o país, mas não é o único. Outros golpes comuns são através de contratação de empréstimos consignados e os casos de pessoas falecidas, quando criminosos recebem o benefício em nome de um segurado que morreu. A criatividade dos estelionatários não tem limites. Eles se aproveitam da fragilidade e da falta de informação dessas pessoas, geralmente idosas.

O INSS alerta que não usa intermediários ou contatos telefônicos para resolver pendência com beneficiários. A Justiça, em nenhum âmbito, faz esse tipo de comunicação, por isso a pessoa nunca deve fornecer dados sem certificar-se que a ligação é segura. Quando há algo a receber, a Justiça entrega uma convocação.

O Instituto Próprio de Previdência Municipal de Caruaru (CaruaruPrev) orienta os aposentados e pensionistas para ter atenção em tudo que se refere ao benefício. “Entre os nossos segurados nunca tivemos informação de casos de golpes, mas sabemos que existem muitas pessoas que vivem disto e estão apenas à espera de espaço para agir. Por isso, orientamos para que todos fiquem atentos ao receber uma correspondência ou ligação em nome de algum órgão. Na maioria dos casos de fraude o documento é grosseiro, contendo até erros de português. As ligações também não são uma prática dos órgãos, muito menos para solicitar deposito. Nesses casos deve-se procurar o órgão citado para buscar mais informações. Qualquer tipo de vantagem fora do normal deve ser questionada. Se estiver aguardando uma resposta de algum processo na Justiça, busque um advogado para se certificar de que o contato é legítimo”, destacou o presidente do CaruaruPrev Osório Chalegre.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro