17 de dezembro de 2017 às 22h40min - Por Mário Flávio

Do G1

Sebastián Piñera, ex-presidente conservador e representante da coalização de centro-direita “Vamos Chile”, venceu o segundo turno das eleições presidenciais chilenas deste domingo (17). Ele vai suceder Michelle Bachelet a partir de março do ano que vem.

Aos 99,9% da apuração, Piñera conquistou 54,58% dos votos e seu rival, Alejandro Guillier, 45,42%. Guillier reconheceu uma “dura derrota” e parabenizou Piñera pela vitória. A presidente Bachelet também telefonou para parabenizá-lo por sua vitória.

Em discurso a simpatizantes, Piñera disse que proporá grandes acordos para ser “o presidente de todos”. “Recebemos esta vitória magnífica com humildade, mas também com esperança”, disse Piñera a seus simpatizantes, que gritavam “o Chile se salvou!”.

“Viva a diferença, viva o pluralismo de ideias! Mas nunca essas diferenças devem nos converter em inimigos, porque cada vez que os chilenos se enfrentam e se transformam em inimigos, consumam suas maiores derrotas”, anunciando seu compromisso com o diálogo e com os acordos.

Piñera era visto como o favorito durante a campanha presidencial. No entanto, obteve apenas 36,64% dos votos no primeiro turno – quando Guillier conquistou 22,7% – e a disputa ficou mais acirrada para esta segunda votação.

A vantagem sobre Guillier resultou maior do que o esperado. As últimas pesquisas eleitorais apontavam um empate técnico.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro