9 de novembro de 2013 às 08h25min - Por Mário Flávio

Da Folha

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse ontem que “não será nenhuma tragédia” se, nas eleições presidenciais do ano que vem, o PSB tomar o lugar do PSDB na disputa de um eventual segundo turno com a presidente Dilma Rousseff, hoje a grande favorita da disputa. “Não acredito nessa possibilidade, mas se ela ocorrer não será nenhuma tragédia”, afirmou FHC. “O que eu acho é que temos de ter alternância no poder. O PT está há muito tempo no poder”.

Mas FHC advertiu que o governador Eduardo Campos, provável nome do PSB em 2014, “tem que se encorpar”, porque “se ele não encorpar, não teremos segundo turno”. A avaliação foi feita em entrevista ao blog do jomalista Kennedy Alencar. Mas o ex-presidente deixou claro, na conversa, que não acredita nessa possibilidade – a de o provável candidato tucano, Aécio Neves, vir a ser superado nas urnas pelo governador pernambucano. Segundo ele, Aécio “tem mais condições, porque a organização do PSDB é maior”. Ele mencionou, então, os Estados de São Paulo, Minas, Paraná, que têm um grande eleitorado, e o Pará. “O

Aécio tem um enorme apoio em Minas, enquanto o Eduardo só tem Pernambuco”, completou. No cenário eleitoral por ele traçado, o apoio da ex-senadora Marina Silva “Vai ajudar, e é bom que ajude mesmo” a fortalecer a candidatura de Campos. Mas o ex-presidente preferia mesmo, segundo observou, que houvesse quatro candidatos fortes na disputa – ou seja, que Marina tivesse conseguido registrar a sua Rede Sustentabilidade. “Tinha que ter quatro candidatos. Agora é mais complicado”.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro