17 de janeiro de 2012 às 07h30min - Por Mário Flávio

Em uma sessão tumultuada pelo gritos dos populares presentes na Câmara Municipal de Agrestina na noite dessa segunda-feira(16), os vereadores aprovaram a ata da reunião do dia 09 de janeiro, aprovando também as denúncias contra a prefeita Carmem Miriam (PT). o que definiu que uma Comissão Especial Processante comece a analisar as supostas irregularidades relacionadas a Carmem, que terá dez dias para apresentar explicações sobre as alegações da oposição, que são apontadas pela situação como uma manobra política para desgastar a petista e fortalecer o pré-candidato Thiago Nunes.

Nesta terça-feira (17), ela já deve ser citada pela comissão especial, iniciando o prazo de análise dos autos do processo levantado pelo vereador Adilson Tavares “Gordo de Zelito” (PP). A comissão é formada por três vereadores, Ivan Veras (PT), José Pedro “Zito da Barra” (PTB) e Marciano Filho (PTB), estes dois últimos da oposição. Eles vão analisar, em um período de no máximo 90 dias, denúncias referentes ao não atendimento de pedidos de informações à Câmara,  desrespeito da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF); e não cumprimento da Lei 201/67, que define infrações político-administrativas.

No entanto, Ivan Veras julga que essas acusações são equivocadas e que não apresentam sustentação para exigir um processo de cassação da prefeita. “Essas denúncias basicamente se relacionam a períodos de prazos não-cumpridos, pelo que alegam os vereadores da oposição, no entanto, eles cometem um equívoco, pois os prazos estão dentro do regimento interno”, argumentou o vereador. Já Gordo de Zelito salientou: “quem está cometendo equívoco é o vereador Ivan Veras, por considerar que estas informações que apresentamos estão erradas, pois eu tenho os documentos, está tudo escrito, não há nada inventado, se não houvesse consistência, não teríamos apresentado as denúncias”.

Fotos: Paulo Roberto/BMF


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro