12 de setembro de 2018 às 17h42min - Por Mário Flávio

Candidato ao Senado pela Coligação “Pernambuco Vai Mudar”, Bruno Araújo (PSDB) foi o sabatinado desta quarta-feira (12/09) na série que a CBN Recife promove com os postulantes à Câmara Alta. Instigado a comentar a decisão do PT de assumir a candidatura presidencial de Fernando Haddad – considerando que o ex-presidente Lula está inelegível pela Lei da Ficha Limpa e preso em Curitiba (PR) – o tucano fez um alerta: “Haddad é um novo ‘Dilmo’. O Brasil sabe no que isso deu”.

“O ex-presidente Lula, da cadeia, vinha anunciando seu candidato, na minha opinião um novo “Dilmo”. O Brasil sabe no que deu há 8 anos, quando Lula apresentou a ex-presidente Dilma. Aliás, o PT também sabe e vem escondendo a Dilma. Esconderam ela em Minas Gerais, Dilma não aparece em programa de ninguém, e mais, Dilma sequer foi lembrada para a presidência da República. Se alguém pensar em um senador que combate o populismo e o PT, esse candidato sou eu”, afirmou.

Afastada do poder pelo processo de impeachment – previsto na Constituição brasileira – a petista Dilma Rousseff é candidata ao Senado por Minas Gerais. Abordado sobre o dispositivo que a afastou da presidência, denominado de “golpe” pelo PT, Bruno Araújo contestou: “O PT criou a narrativa do golpe democrático, do golpe pelo voto”.

“Se vale essa narrativa do golpe do PT, por que ela não vale para Marília Arraes (afastada da disputa ao governo de Pernambuco pelo PT)? Por que não vale para a aliança com Paulo Câmara, que junto com outros partidos viabilizou votos para afastar Dilma? Essa narrativa não vale para colocar na chapa um deputado que votou pelo impeachment que é Jarbas Vasconcelos? Se a narrativa do golpe valer, desmoraliza a chapa Humberto, Paulo Câmara e Jarbas Vasconcelos”.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro