13 de outubro de 2021 às 13h25min - Por Jorge Brandão

A 13ª edição da Bienal Internacional do Livro de Pernambuco que teve como tema “Só existe uma vacina contra a Ignorância. Leia”, foi realizada de forma presencial e hibrida depois de um ano e meio de pandemia. A programação teve duração de 12 dias, injetando cerca de R$ 12 milhões na economia do estado.

Foram realizadas cerca de 220 atividades, entre elas 20 oficinas presenciais, mais de 60 lançamentos literários, 50 palestras presenciais e outras 30 virtuais, apresentações artísticas. Estiveram presentes ainda 89 livrarias e editoras em 320 estandes, distribuídos no pavilhão interno do Centro de Convenções, em Olinda com a presença de cerca de 350 mil pessoas que prestigiaram o evento seja da forma virtual ou presencial.

De acordo com o produtor da Bienal, Rogério Robalinho, o evento já está consolidado na agenda cultural e econômica do estado. “A Bienal tem um vetor econômico de incremento e enriquecimento do mercado editorial no Brasil e também com outros países do mundo. Estamos animados com essa reativação econômica do universo da literatura”, afirmou.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro