5 de março de 2013 às 07h55min - Por Mário Flávio

Raquel Lyra em pronunciamento

Uma vasta programação foi montada pela prefeitura de Caruaru para comemorar a Semana Internacional da Mulher. E é justamente a ausência de uma mulher no evento, para mostrar que a distância na Frente Popular em Caruaru ainda é gritante. A deputada estadual Raquel Lyra (PSB) não foi convidada para participar de nenhum debate ou ministrar palestra.

Assessores próximos a deputada confirmam que ela recebeu apenas o convite formal do evento, mas ficou de fora da grade de programação. É claro que se uma consulta for feita a educada secretária Elba Ravane (PT), ela vai ser diplomática e dizer que a pauta do evento foi montada a partir de uma demanda e que a secretaria de Laura Gomes (PSB) se encaixa mais nos assuntos a serem abordados.

Mas o trabalho que Raquel fez a frente da secretaria da Infância e Juventude, a credenciaria a ministrar palestra sobre a situação das mulheres nas unidades prisionais para adolescentes, só para citar esse caso. A verdade é que a relação entre o vice-governador João Lyra e o prefeito Zé Queiroz, ambos do PDT, segue pra lá de estremecida e acaba respingando nos mais próximos, cada um com o seu peso político.

Por outro lado, se assessores de Raquel reclamam da falta de convite, pessoas próximas do prefeito afirmam que não existe a tentativa de conversa por parte da socialista e que Laura Gomes teria colocado o gabinete dela a disposição para o evento, o que não teria ocorrido com Raquel Lyra. Até quando isso dura? A resposta é bem simples: Eleição de 2014.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro