29 de outubro de 2013 às 12h23min - Por Mário Flávio

No dia 2 de dezembro de 2008, o ex-presidente Lula em discurso nas comunidades V8 e V9, em Olinda, disse que “achava inadmissível que a cidade tivesse um canal com o nome de Canal da Malária”. Que era “inconcebível ter, entre a capital de Pernambuco, Recife, e a cidade histórica de Olinda, um canal chamado Canal da Malária, em que as pessoas viviam exatamente arriscadas a pegar doenças, vivendo no meio da poluição e vivendo numa fedentina”.

Lula prometeu 661 casas e foi mais além: “um parque, construído numa área de 7,5 hectares, numa área de mangue, vão receber duas quadras, um campo de futebol, uma pista de cooper, uma ciclovia, um calçadão para pedestres e uma arena para apresentações culturais. Tudo isso, o nosso companheiro Renildo é que vai agora inaugurar o restante das obras”, afirmou o petista, na ocasião.

“Cinco anos depois, o que se vê na comunidade é um cenário bem diferente do prometido pelo ex-presidente e que o atual prefeito da cidade, Renildo Calheiros (PCdoB) deveria terminar”, questionou o deputado federal Augusto Coutinho (Solidariedade), ao visitar o local acompanhado do vereador Jorge Federal e do ex-candidato a prefeito, Armando Sérgio, também integrantes do SDD.

Dos habitacionais que foram entregues, a maioria apresenta rachaduras nas paredes e base. Outros tiveram as obras abandonadas e sequer foram entregues à população. Sem saneamento básico, as ruas foram tomadas pelo esgoto, lixo e mato, aonde crianças correm o risco de contrair doenças. Apesar da falta de abastecimento, um buraco virou fonte de desperdício da Compesa 24 horas em uma das ruas da comunidade. Moradores informam que o problema existe há vários meses e até o momento não foi solucionado, causando alagamento agravado ainda mais com o período de chuvas.

O que disse Lula no discurso? “Aqui tem que ter água encanada, aqui tem que ter coleta de esgoto e aqui vocês vão viver com dignidade. Muita gente que mora em outro bairro, certamente vai ficar com um certo ciúme do antigo Canal da Malária, porque vai ser um canal de decência para o povo desta região viver”.

A dona de casa Selvina Maria dos Santos, 66, lembra que teve encontro com Lula em 2008 e ouviu dele que os problemas da comunidade iriam acabar. Hoje, teme pela queda de sua casa comprometida por enormes rachaduras. “O prefeito nunca veio aqui para ver essa situação deperto”, reclamou. “É um absurdo o que acontece aqui. Nem mesmo o básico está sendo executado pela prefeitura que é limpar o canal e retirar o lixo das ruas”, denunciou Coutinho, após visita ao local.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro