22 de fevereiro de 2018 às 08h14min - Por Mário Flávio

Atendendo ao pedido de indicação do vereador Bruno Galvão, aconteceu nessa quarta (20), na Câmara de Vereadores a audiência de  apresentação do Programa de Saneamento Ambiental da Bacia Hidrográfica do Ipojuca (PSA).  Em Belo Jardim, estão previstos o projeto de obras do Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) e o Programa de Pagamento por Serviços Ambientais na Bacia do Bitury.

De responsabilidade da Companhia Pernambucana de Águas (Compesa), o processo de revitalização e sustentabilidade do Rio Ipojuca custará US$ 330 milhões, sendo US$ 200 milhões oriundos do BID e US$ 130 milhões de contrapartida estadual. A previsão é que as obras sejam concluídas até agosto de 2019.

“Não se revitaliza o Rio Ipojuca sem antes realizar o saneamento da cidade. Essa é a nossa preocupação”, esclareceu o vereador que fez essa mesma menção com relação ao Rio Bitury.  “Essa audiência foi oportuna debater também assuntos pertinentes relacionados aos recursos hídricos como o abastecimento de água (cidade e zona rural); a retirada ilegal de água das barragens e das várias nascentes; o saneamento dos moradores ribeirinhos que situados em torno das barragens; o programa de educação ambiental para cidade e zona rural; além de tratar do desmatamento e ocupação irregular nas margens dos rios”, destacou.

O PSA – Ipojuca prevê a construção de estações de tratamento de esgoto e a criação de um parque ambiental que deve possuir, no mínimo, seis hectares cercado por reserva de mata ciliar.

Estiveram presentes na audiência representantes da Agência Pernambucana de Águas e Climas (APAC); Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH); Companhia Pernambucana de Água (Compesa); secretaria de Obras da Prefeitura de Belo Jardim; Consul Bitury; Baterias Moura; Grupo Asa; Notaro Alimentos e Organizações Não Governamentais (ONG’s).


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro