9 de dezembro de 2013 às 22h51min - Por Mário Flávio

20131209-225042.jpg

O senador Armando Monteiro (PTB) teve um almoço nesta segunda-feira (09) com a imprensa de Pernambuco para fazer um balanço de sua atividade parlamentar em 2013 e também falar das perspectivas para 2014. Ao afirmar que o ano foi muito positivo, Armando detalhou a participação em comissões importantes do Congresso Nacional, a exemplo da Comissão Especial de Segurança Pública e da que apresentará propostas para a reforma do Código Penal.

Sobre o processo eleitoral de 2014 em Pernambuco, ele voltou a declarar o apoio à reeleição da presidente Dilma, sem deixar de considerar legítimo um projeto presidencial do PSB. Ao destacar que tem dialogado permanentemente com a sociedade, em todas as regiões, o senador lembrou que Pernambuco ainda tem muitos desafios pela frente e é nesta perspectiva que ele quer realizar um debate do mais alto nível sobre o futuro do Estado.

PRINCIPAIS TRECHOS DA FALA DE ARMANDO

ELEIÇÃO – Não poderia deixar de falar também sobre o processo politico que se avizinha. Nós estamos empenhados em construir um projeto. Vocês sabem os rumos que o processo da nossa aliança tomou aqui em Pernambuco. Na realidade, essa aliança se dissolveu, na medida em que o partido líder da nossa aliança, que era o PSB, entendeu que deveria colocar uma candidatura própria à Presidência da República. Eu considero essa decisão legítima, não me cabe discutir essa decisão, mas ao mesmo tempo entendemos que nós estávamos vinculados a este projeto da presidente Dilma, integrando a base parlamentar de apoio do governo. Na medida em que o instituto da reeleição existe e que ela postula a reeleição, alguns partidos dessa frente entenderam que deveria seguir com a presidente. E outros que vão acompanhar a candidatura presidencial do PSB.

EDUARDO CAMPOS – Eu não vou, em qualquer circunstância, negar as minhas posições e não deixarei nunca de reconhecer os méritos do Governo do Estado de Pernambuco. Nós nos elegemos nesse palanque, espero e tenho certeza que teremos uma relação de respeito com o governador, mas entendemos que nós deveríamos tomar o nosso caminho. Até porque o PSB vem liderando em Pernambuco um ciclo de 8 anos. Quer dizer, o governador foi eleito com o nosso apoio e reeleito com o nosso apoio. Ora, se há um ciclo que agora se encerra de 8 anos, é natural que a partir daí se possa, de forma mais aberta, mais arejada, mais democrática, discutir alternativas. E o nosso conjunto político está querendo oferecer uma alternativa que possa ampliar esse cardápio que será colocado à disposição do eleitor de Pernambuco.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro