26 de dezembro de 2020 às 09h25min - Por Mário Flávio
Cerimonia de posse do presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Gustavo Montezano. Montezano defendeu o alinhamento “total” da nova direção do banco com o governo federal, afirmou que a instituição buscará ajudar nos processos de desestatização, abrirá sua “caixa-preta” (promessa de campanha do presidente) e devolverá recursos ao Tesouro Nacional. Brasilia, 16-07-2019. Foto: Sérgio Lima/PODER 360

O governo do presidente Jair Bolsonaro é aprovado por 55% dos brasileiros que receberam ou aguardam receber o auxílio emergencial, segundo pesquisa PoderData. A aprovação teve alta de 9 pontos percentuais em relação ao último levantamento, realizado há 1 mês.

No mesmo período, a desaprovação da administração federal entre os beneficiários caiu 9 pontos percentuais. Passou de 44% para 35%.

É a 1ª vez desde setembro que o levantamento registra alta na avaliação, que vinha em queda.

A aprovação do governo Bolsonaro entre os beneficiários está 8 pontos acima da avaliação nacional, que está em 47%. O percentual de rejeição entre quem já recebeu ou ainda aguarda o coronavoucher é 11 pontos percentuais menor do que a desaprovação geral (46%).

O levantamento mostra ainda que a avaliação positiva do governo variou dentro da margem de erro entre quem tentou receber o benefício mas teve o cadastro recusado. Foi de 45% para 42% em 1 mês. A desaprovação nesse grupo, no entanto, registrou alta no período: passou de 32% para 54% –alta de 22 pontos percentuais.

Entre os que não se enquadram nas condições para receber o auxílio, a avaliação positiva do governo subiu 7 pontos percentuais. Passou de 36% para 43% em 1 mês. A desaprovação caiu de 58% para 52% –queda de 6 pontos percentuais.

A pesquisa foi realizada pelo PoderDatadivisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes.

Os dados foram coletados de 21 a 23 de dezembro, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 470 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

AUXÍLIO X TRABALHO DE BOLSONARO

PoderData também perguntou aos entrevistados sobre o trabalho individual do presidente. Bolsonaro é bem avaliado (“ótimo” e “bom”) por 50% dos beneficiários do auxílio emergencial. Houve alta de 10 pontos percentuais em 1 mês, quando a taxa era de 40%.

A aprovação hoje está 11 pontos percentuais acima da média nacional(39%).


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro