22 de fevereiro de 2012 às 11h00min - Por Mário Flávio

Como já é tradição tudo no Brasil só começa após o carnaval. Com a passagem da folia de momo, os pré-candidatos irão começar a montar as possíveis chapas para concorrer nas eleições desse ano. De um lado, a Frente Popular, com alguns problemas a serem resilvidos e do outro a oposição, esfacelada mas mostrando resistência. Pela Frente Popular o candidato deve ser mesmo o prefeito Zé Queiroz (PDT), que além de ser o natural nome para a reeleição, conta com o apoio do governador Eduardo Campos (PSB).

O problema está no PCdoB, já que nos bastidores o presidente da Câmara, Lícius Cavalcanti, tem a intenção de sair candidato a prefeito e não se entende com o Chefe do Executivo desde a eleição da Mesa Diretora. A Frente deve perder ainda o apoio do PV, que deve optar por candidatura própria. Mesmo assim, o pedetista conseguiu unir aliados e opositores numa grande conjuntura política e deve contar com o apoio de mais partidos que na eleição anterior. Nessa conjuntura está o PMDB, com a nomeação de Reginaldo França, um político que não representa muito no cenário e causou desgaste junto aos aliados.

Pela oposição a situação é mais delicada. O grupo liderado por Tony Gel (DEM) conta com poucos partidos e perdeu aliados para a Frente Popular. A sobrevivência da candidatura de Miriam Lacerda depende do PMDB, já que sem essa legenda ficaria praticamente inviável manter o nome da ex-deputada. O casal ainda vai tentar convencer o tucano Diogo Cantarelli, que concedeu várias entrevistas e disse ter o apoio do PSDB para se candidatar a prefeito. O mês de março vai ser crucial para isso.

As candidaturas alternativas também passarão por momentos decisivos. A pressão em cima de Lícius para desistir de ser candidato deve aumentar, mas a favor dele pesam a opinião da deputada federal Luciana Santos e do deputado estadual Luciano Siqueira. Ambos defendem a tese da candidatura, restando o prefeito de Olinda, Renildo Calheiros, a intenção de tirar o comunista da disputa para apoiar Zé Queiroz. Os dois estão empenhados em apoios recíprocos nas cidades de Caruaru e Olinda.

O PV segue também com a intenção de lançar candidatura. O presidente da legenda, Marcelo Rodrigues, garante que já fechou com o apoio de dois partidos e que um terceiro pode aderir ao nome dele para ser candidato a prefeito. Marcelo ocupa hoje a função de secretário de Meio Ambiente no Recife e o PT pode tentar um acordo para que o verde desista e apoie o nome de Queiroz. Por fim, resta a candidatura de Fábio Silva (PSOL), que deve entrar só na disputa para pleitear o cargo de Chefe do Executivo.

Com o fim do carnaval é só o início das articulações e o debate sobre as alianças deve ser intenso, afinal os projetos políticos estarão em jogo nas convenções a serem realizadas no mês de junho.

 

 


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro