28 de julho de 2017 às 07h11min - Por Mário Flávio

Bruno Araujo - Foto: George-Gianni/PSDB

O governador Geraldo Alckmin saiu do jantar com os principais líderes no PSB, anteontem à noite, no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, com uma certeza na cabeça. O partido pode até apoiá-lo para presidente da República, mas exigirá o apoio do PSDB a dois dos seus candidatos a governos estaduais: Márcio França (SP) e Paulo Câmara (PE).

França é o atual vice-governador e deverá assumir o governo paulistano em abril do próximo ano quando o governador desincompatibilizar-se para se candidatar à sucessão de Temer. Só que o PSDB estadual não deseja apoiá-lo à reeleição porque pretende manter o Palácio dos Bandeirantes sob controle dos tucanos e a bola da vez parece ser o prefeito João Doria, ora em ascensão nas pesquisas eleitorais.

Quanto a Paulo Câmara, vai disputar a reeleição em 2018 e gostaria de contar novamente com apoio do PSDB, mesmo tendo excluído esse partido do seu governo em abril do ano passado. O ministro Bruno Araújo não quer nem ouvir falar nesta aliança. Mas em nome do projeto nacional do partido, talvez seja obrigado a aceitar este entendimento.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro